Tamanho do texto

Índice acionário avançou 1,29%, aos 47.993 pontos; giro financeiro do pregão totalizou R$ 5,6 bilhões

Reuters

A Bovespa cravou sua sexta alta consecutiva nesta segunda-feira (24), impulsionada pelas ações da Petrobras e do setor financeiro, após relatório do Credit Suisse prever crescimento de dois dígitos no lucro de bancos privados no País neste ano.

-Leia também: dólar cai 0,17%, com expectativa de continuidade de entrada de recursos

O Ibovespa subiu 1,29%, aos 47.993 pontos. O índice não emendava seis altas seguidas desde outubro de 2013. O giro financeiro do pregão totalizou R$ 5,6 bilhões.

As ações de Itaú Unibanco, Santander Brasil e Bradesco deram forte impulso ao índice, depois do Credit Suisse reiterar a recomendação de "outperform" (acima da média do mercado) de Itaú e do Santander e elevar a do Bradesco de "neutra" para "outperform".

As ações de Itaú Unibanco, Santander Brasil e Bradesco deram forte impulso ao índice
Getty Images
As ações de Itaú Unibanco, Santander Brasil e Bradesco deram forte impulso ao índice

Em relatório, analistas do Credit mostraram-se otimistas com as perspectivas para os resultados de bancos privados, prevendo que o crescimento dos lucros deve ser de dois dígitos em 2014 e 2015, diante de maiores spreads, esforços para o controle de custos e da desaceleração da concessão de crédito de bancos públicos.

"Em um ano de seca e de risco de racionamento de energia, os bancos brasileiros são um pequeno oásis no deserto", disseram os analistas do Credit, liderados por Marcelo Telles.

As ações preferenciais da Petrobras, com alta de 2,71%, também ajudaram a bolsa a subir.

A Bovespa sustentou alta de mais de 1% apesar da baixa das bolsas dos Estados Unidos, onde investidores optaram por realizar lucros. De acordo com especialistas, estrangeiros voltavam pontualmente para a bolsa brasileira, diante da defasagem de preços locais em relação aos mercados externos.

Outro destaque do pregão desta segunda-feira (24) foi a ação da Cesp, com alta de 4,99%. A geradora de energia anunciou prejuízo líquido de R$ 990,5 milhões no quarto trimestre de 2013, mas em resultado afetado por provisão relacionada ao fim da concessão da hidrelétrica Três Irmãos.

A companhia propôs o pagamento de cerca de R$ 1 bilhão em dividendos, valor que surpreendeu o mercado positivamente.

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.