Tamanho do texto

Índice japonês Nikkei subiu 1,8%

Reuters

Homem olha índices na bolsa de Tóquio
KIM KYUNG-HOON/REUTERS/Newscom
Homem olha índices na bolsa de Tóquio

As ações asiáticas avançaram moderadamente nesta segunda-feira, escolhendo seguir o desempenho firme dos mercados acionários mundiais da semana passada e permanecendo bastante confiantes em relação à crise na Crimeia e à desaceleração do crescimento chinês.

As ações asiáticas sofreram um golpe depois que o Índice de Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês) preliminar do HSBC sobre o setor industrial na China caiu para um mínima de oito meses em março, o mais recente de uma série de indicadores apontando para uma perda de ímpeto na economia chinesa.

Porém, às 7h46 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão conseguia avançar 0,99%, e o índice japonês Nikkei subiu 1,8%, após sólidos desempenhos em Wall Street na semana passada, após performances sólidas em Wall Street na semana passada.

"As ações estão em alta na Ásia com suporte contínuo da semana passada, com os mercados escolhendo focar nos fatores positivos por enquanto", disse Mitul Kotecha, chefe de pesquisa de mercados globais para a Ásia do Crédit Agricole.

Veja também: Nokia prevê fechar negócio de telefonia com Microsoft somente em abril

Kotecha acrescentou, porém, que a persistência desse tom positivo dependerá dos acontecimentos desta semana na arena geopolítica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.