Tamanho do texto

Índice fechou em alta de 0,34%, aos 45.117 pontos; giro financeiro do pregão foi de R$ 7,7 bilhões

O principal índice da Bovespa subiu nesta segunda-feira (17), em movimento de repique após fechar a sessão anterior em seu menor nível em quase cinco anos, mas perdeu força durante a tarde, pressionado pelas ações da Petrobras ao fim do exercício de opções sobre ações.

O Ibovespa fechou em alta de 0,34%, aos 45.117 pontos. O giro financeiro do pregão foi de R$ 7,7 bilhões, inflado pelo vencimento de opções sobre ações, que movimentou R$ 2,677 bilhões, segundo operadores.

-Leia também: dólar cai 0,07% e fica abaixo de R$ 2,35

O índice aproveitou o clima positivo dos mercados externos para avançar, com as ações dos EUA subindo após o referendo na Crimeia a favor de deixar a Ucrânia ter ocorrido sem violência no fim de semana.

Na máxima do dia, o Ibovespa chegou a avançar mais de 1%
Reuters
Na máxima do dia, o Ibovespa chegou a avançar mais de 1%

Além disso, nesta segunda-feira (17) foi divulgado que a produção industrial americana se recuperou acima do esperado em fevereiro e atingiu a maior alta em seis meses.

Na máxima do dia, o Ibovespa chegou a avançar mais de 1%. Mas os ganhos do índice desaceleraram à medida que as ações de Petrobras (-0,74%) e Vale (-0,26%), carros-chefe do mercado de opções, entraram no terreno negativo depois do fim do exercício das opções.

A maior valorização do Ibovespa ficou com a companhia aérea Gol (+3,52%), reagindo à divulgação de dados operacionais de fevereiro, quando houve alta na receita por passageiro sobre um ano antes e maior demanda por voos.

Na ponta negativa, as ações da construtora MRV Engenharia (-3,51%) lideraram as baixas, depois de terem recuado 12,5% na sexta-feira (14), em reação aos resultados referentes ao quarto trimestre e preocupações quanto aos cancelamentos de contratos de vendas.

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.