Tamanho do texto

Expectativa é que acordo seja aprovado este mês e os novos serviços possam ser oferecidos a partir de abril

O Banco do Brasil vai ampliar os produtos oferecidos nas agências do Banco Postal. Em comunicado ao mercado, o BB e Correios informaram que fizeram um Acordo de Condições Gerais de Associação e o submeteram para aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A expectativa do banco é que o acordo seja aprovado ainda este mês e, a partir de abril, os novos produtos já possam ser oferecidos. Além dos produtos, também serão ampliados os pontos de atendimento. Atualmente, o Banco Postal tem 6.183 postos e a expectativa é a ampliação em 1.093.

-Leia também: BB estuda ampliar parceria com os Correios em Banco Postal

Segundo o vice-presidente de Negócios de Varejo do BB, Alexandre Abreu, atualmente, os produtos da instituição financeira oferecidos no Banco Postal são apenas conta-corrente, um tipo de crédito, poupança e cartão de crédito. A ideia é passar a oferecer todos os tipos de aplicações financeiras e de crédito, como o imobiliário e o agrícola, além de seguros, previdência e capitalização.

Além dos produtos, também serão ampliados os pontos de atendimento do Banco Postal
Getty Images
Além dos produtos, também serão ampliados os pontos de atendimento do Banco Postal

Mas, inicialmente, Abreu disse que os produtos serão oferecidos no Banco Postal, de acordo com o perfil dos clientes de cada localidade. “Por exemplo, em uma zona rural, vamos oferecer o Pronaf [Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar ]”, disse.

De acordo com Abreu, como o negócio envolve duas grandes empresas e a nova lei do Cade ampliou as atribuições do conselho, o BB e os Correios submeteram o acordo à aprovação. Esse acordo é “uma fase intermediária” para a criação da nova instituição financeira, formada com capital do BB e dos Correios. Cada um dos participantes da nova instituição vão ter participação de 50%.

Para o vice-presidente econômico-financeiro dos Correios, Luís Mário Lepka, a atuação conjunta do banco e da empresa amplia o leque de serviços oferecidos e a renda conquistada com a parceria. “Acrescenta valor aos Correios”, disse.

A vice-presidente de negócios dos Correios, Morgana Cristina Santos, argumenta que a parceria também “traz valor para a sociedade” porque irá atender à nova classe média, formada por pessoas quem nem sempre se sentem à vontade para entrar em uma agência bancária formal.

“Muitas vezes, esses clientes não se relacionam de forma satisfatória com as instituições financeiras tradicionais. O ambiente [do novo Banco Postal] será mais flexível e vai atender todas as necessidades financeiras da população”, disse Morgana.

Atualmente, a parceria entre o BB e os Correios é regida por regulamentação específica de correspondente bancário, o que restringe a ampliação dos negócios. O banco e os Correios esperam concluir o Plano de Negócios para a criação da nova instituição financeira ainda neste semestre.

Quando os estudos forem concluídos, a proposta será enviada para aprovação do Banco Central e, novamente, ao Cade. Abreu estima que até o final do ano, a criação da nova instituição financeira seja aprovada e já comece a operar em 2015.

O Banco do Brasil assumiu o Banco Postal em janeiro de 2012 ao ganhar a licitação, tomando o lugar do Bradesco. E no ano passado, BB e Correios informaram que estudam criar nova instituição financeira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.