Tamanho do texto

Empresa será favorecida pela expansão da base de correntistas de seu controlador, o BB

Reuters

A empresa de seguro, capitalização e previdência BB Seguridade deve seguir crescendo acima da média dos rivais nos próximos anos, favorecida pela expansão da base de correntistas de seu controlador, o Banco do Brasil.

"Enxergamos bom espaço de crescimento pelos próximos anos", disse nesta quarta-feira (12) Marcelo Labuto, diretor-presidente da companhia, em teleconferência com analistas sobre os resultados do quarto trimestre.

-Leia também:  BB Seguridade tem lucro líquido de R$ 903,6 milhões no 4º trimestre

Em 2013, a empresa ganhou 3 pontos percentuais na participação do mercado, superando 24%, disse o executivo. Mesmo assim, os produtos da companhia ficaram em apenas 13% da base de clientes do BB, número próximo do fechamento do ano anterior.

Mais para frente, a empresa planeja a internacionalização de seus negócios de resseguros
Getty Images
Mais para frente, a empresa planeja a internacionalização de seus negócios de resseguros

Em conversa com jornalistas, a diretora de operações, Ângela Assis, disse que a empresa tem expectativa de que esse percentual possa evoluir para cerca de 30%, pontuando as diferenças potenciais em expansão em cada produto.

A BB Seguridade diz ter feito um levantamento com o qual identificou chances de vender seus produtos a cerca de um quarto da base aproximada de 60 milhões de clientes do BB.

Em 2013, a Brasilprev, braço de previdência privada da BB Seguridade, teve 55% da captação líquida do setor, disse Labuto, citando dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep) até novembro.

Labuto previu também que a empresa terá neste ano maior contribuição das receitas financeiras na composição do lucro. O efeito da marcação a mercado de títulos detidos pela companhia, num cenário de alta dos juros, fez com que as receitas financeiras contribuíssem com 19% do lucro em 2013, ante 30% em 2012.

Planos

Para os próximos meses, a empresa pretende concretizar dois planos. O primeiro é tornar operacional até maio seu braço de seguros odontológicos, que aguarda aprovação regulatória, disse o diretor de relações com investidores da companhia, Leonardo Mattedi. O outro é a estreia dos negócios com seus recibos de ações nos Estados Unidos (ADRs) até o fim de junho.

Mais para frente, a empresa planeja a internacionalização de seus negócios de resseguros, por meio do IRB.

No segmento de grandes riscos, a empresa está atenta a oportunidades de mercado, disse Mattedi, quando perguntado se a BB Seguridade está interessada em comprar essa carteira do Itaú Unibanco, que está à venda.

A ação da companhia recuou 2,45% nesta quarta-feira (12), enquanto o Ibovespa caía 0,51%. Na véspera, a ação tinha subido 4,26%, enquanto o Ibovespa avançou 1,58%.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.