Tamanho do texto

Com ganho de 0,53%, cotação terminou a R$ 2,281; giro financeiro foi de US$ 2,235 bilhões

Agência Estado

A alta do dólar no exterior, onde os investidores buscaram segurança antes da decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), estimulou a valorização da moeda americana no Brasil nesta terça-feira (30).

-Veja também: Bovespa fecha em baixa novamente à espera da decisão do Fed

A disputa entre os investidores comprados e vendidos para a determinação da Ptax, na quarta (31), também influenciou os negócios.

O Banco Central apenas observou o movimento, apesar de o dólar encerrar acima de R$ 2,28. A divisa dos EUA terminou o dia com alta de 0,53% no mercado de balcão, a R$ 2,2810 —maior patamar de fechamento desde 31 de março de 2009, quando marcou R$ 2,3180.

No mercado futuro, o dólar para agosto era cotado a R$ 2,2830, em alta de 0,48%
Getty Images
No mercado futuro, o dólar para agosto era cotado a R$ 2,2830, em alta de 0,48%

Profissionais de câmbio disseram que, ao se aproximar de R$ 2,28, a moeda tornou-se atrativa para os exportadores, que decidiram internalizar recursos. Com isso, forçaram a desaceleração dos ganhos.

Na reta final dos negócios, o dólar voltou a acelerar e chegou a ser cotado a R$ 2,2820 (+0,57%) às 15h57 —a máxima do dia e o maior patamar intraday desde 1º de abril de 2009, quando bateu R$ 2,3080 no balcão.

Na quarta-feira (31), além do Fed e da formação da Ptax, os investidores vão observar a divulgação Produto Interno Bruto (PIB) preliminar dos EUA, no segundo trimestre.

Se o dado for bom, a pressão de alta sobre o dólar pode se intensificar, em meio à percepção de que o PIB reforça a expectativa do início da redução dos estímulos.

A agenda traz ainda a divulgação do fluxo cambial no Brasil na última semana.

Perto das 16h30, a clearing de câmbio da BM&F registrava giro financeiro de US$ 2,235 bilhões.

O dólar pronto na BM&F teve alta de 0,53%, a R$ 2,2795, com dois negócios. No mercado futuro, o dólar para agosto era cotado a R$ 2,2830, em alta de 0,48%, enquanto a moeda para setembro subia 0,52%, para R$ 2,2990.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.