Tamanho do texto

Índice caiu 1,32%, aos 48.561 pontos, por vendas de ações da Vale, Petrobras e Usiminas

Agência Estado

Ainda pautado pelo que virá na quarta-feira (31), do encontro do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), o mercado acionário brasileiro manteve o movimento de realização de lucros da véspera, com a atuação do investidor estrangeiro na ponta vendedora do pregão desta terça-feira (30).

-Veja também: dólar avança e fecha no maior nível desde março de 2009

Vale, Petrobras e siderúrgicas foram a porta de saída daqueles que preferem esperar o que o Federal Reserve anunciará antes de um posicionamento em papéis. Em contrapartida, os balanços positivos de Itaú Unibanco e Santander atraíram compradores para papéis dessas instituições.

A Bovespa encerrou em baixa de 1,32%, aos 48.561,78 pontos. Na mínima, registrou 48.560 pontos (-1,32%) e, na máxima, 49.669 pontos (+0,93%). No mês, acumula elevação de 2,33% e, no ano, perda de 20,33%. O giro financeiro totalizou R$ 6,317 bilhões. Os dados são preliminares.

No mês, o Ibovespa acumula elevação de 2,33% e, no ano, perda de 20,33%
Getty Images
No mês, o Ibovespa acumula elevação de 2,33% e, no ano, perda de 20,33%

Profissionais foram unânimes em reforçar que a queda pela segunda sessão seguida da Bovespa nada mais foi do que realização, sem mudança de tendência. 

A Bovespa acabou operando na contramão das Bolsas americanas, onde alguns balanços corporativos deram o tom positivo do mercado, em meio a indicadores não tão bons assim. Um deles, o índice de confiança do consumidor americano medido pelo Conference Board, caiu para 80,3 em julho, de uma leitura revisada de 82,1 em junho e ante previsão de que iria para 81,3.

O Dow Jones fechou com ligeira baixa de 0,01%, aos 15.520,59 pontos. O S&P avançou 0,04%, aos 1.685,96 pontos, e o Nasdaq subiu 0,48%, aos 3.616,47 pontos.

Internamente, as blue chips Vale e Petrobras foram a porta de saída nesta realização de lucros: Vale ON, -2,45%; PNA, -1,87%; Petrobras ON, -2,46%; e PN, -1,32%.

As siderúrgicas também recuaram, sobretudo Usiminas e CSN, que subiram forte nas sessões anteriores. Usiminas ON caiu 6,25% e liderou as baixas do Ibovespa, enquanto CSN ON recuou 5,92%, na terceira posição. Inda na lista de desvalorizações: Usiminas PNA, -4,45%; Gerdau PN, -2,14%; e Metalúrgica Gerdau PN, -2,56%.

O setor financeiro subiu e contrabalançou o Ibovespa, influenciado pelos balanços do Itaú Unibanco e Santander.

O Itaú Unibanco reportou lucro líquido recorrente de R$ 3,622 bilhões no segundo trimestre, resultado apenas 1% superior ao registrado em igual intervalo do ano passado e em linha com a previsão de analistas (lucro de R$ 3,6 bilhões). A instituição também divulgou lucro líquido de R$ 3,583 bilhões no período, aumento de 8,4%, na mesma base de comparação.

No caso do Santander, o lucro líquido societário alcançou R$ 501 milhões no segundo trimestre, redução de 9,76% na comparação com igual intervalo de 2012, seguindo o padrão contábil brasileiro, o BRGaap. No critério gerencial, o lucro da instituição totalizou R$ 1,410 bilhão, declínio de 3,69% ante um ano e de 7,2% na comparação com o trimestre anterior.

Itaú Unibanco PN subiu 0,79%, Santander unit, 1,24%, BB ON, 1,10%, e Bradesco PN recuou 0,39%.

    Leia tudo sobre: Bovespa