Tamanho do texto

Graças ao cenário externo, Bovespa teve alta de 0,53%; na semana, ganho é de 4,66%

A Bolsa paulista terminou o dia com ganho de 0,53%, aos 47.656,92 pontos. De segunda-feira (15) até esta quinta-feira (18), a alta acumulada foi de 4,66%. Na mínima, registrou 47.093 pontos (-0,66%) e, na máxima, 48.057 pontos (+1,37%). No mês, acumula ganho de 0,42% e, no ano, perda de 21,81%. O giro financeiro totalizou R$ 5,905 bilhões. Os dados são preliminares.

Bovespa acumula ganhos desde segunda-feira (15)
Thinkstock/Getty Images
Bovespa acumula ganhos desde segunda-feira (15)

Depois de subir nos três pregões anteriores, a Bovespa tentou engatar nesta quinta-feira uma realização de lucros. O movimento até aconteceu, mas se limitou às operações durante os negócios, uma vez que a valorização das bolsas internacionais, sobretudo as americanas, influenciou na trajetória de elevação que predominou no mercado doméstico nesta quinta-feira (18). Vale foi uma das ações que mais sentiram a pressão vendedora, passando boa parte da sessão em queda e prejudicando voos mais altos do índice à vista. Petrobras subiu.

O Ibovespa fraquejou na abertura do pregão, mas as bolsas americanas, mais uma vez, insistiram em renovar suas máximas históricas, favorecidas pela repetição do discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, no Senado e pelos indicadores melhores do que as projeções.

Os indicadores vieram bem melhores do que o projetado para os pedidos de auxílio-desemprego (334 mil, ante previsão de queda a 340 mil solicitações) e o índice de atividade industrial regional do Meio-Atlántico. Medido pelo Fed da Filadélfia, o dado subiu para 19,8 em julho, de 12,5 em junho e acima da previsão de que recuaria para 7,7.

O índice Dow Jones terminou o dia com ganho de 0,50%, aos 15.548,54 pontos, e o S&P avançou 0,50%, aos 1.689,37 pontos. Ambos em novo patamar recorde. O Nasdaq terminou com ligeira alta, de 0,04%, aos 3.611,28 pontos.

Na Bovespa, as ações ordinárias da Petrobras se destacaram, com a forte atuação do investidor estrangeiro. Esses papéis subiram 1,17%, enquanto os PN (preferenciais) tiveram alta de 0,25%.

A Vale, por outro lado, perdeu força e pressionou o Ibovespa no meio da tarde. O papel ON recuou 0,60% e o PNA teve ligeira alta, de 0,21%.

    Leia tudo sobre: Bovespa

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.