Tamanho do texto

Preocupações sobre o financiamento disponível para incorporadores imobiliários prejudicaram os mercados chineses

Reuters

Homem olha índices na bolsa de Tóquio
KIM KYUNG-HOON/REUTERS/Newscom
Homem olha índices na bolsa de Tóquio

As ações asiáticas caíram nesta quinta-feira, à medida que preocupações sobre o financiamento disponível para incorporadores imobiliários prejudicaram os mercados chineses, ainda que a confiança geral tenha sido apoiada pela promessa do chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, de manter a política monetária expansiva para o horizonte relevante.

As ações ligadas à tecnologia foram atingidas pela estimativa pessimista de receita anual e por cortes de gastos de capital da norte-americana Intel Corp's, que têm sua origem nas vendas mais fracas de computadores pessoais e pela fraqueza na China, um de seus maiores mercados.

Veja também: PIB da China cresce 7,5% no 2º trimestre

O índice acionário chinês recuou 1,6%, atingindo mínima de uma semana. O índice já acumula perdas de quase 11% neste ano.

O ritmo do aumento mensal nos preços de moradias chinesas desacelerou levemente em junho pelo terceiro mês consecutivo, embora os ganhos anuais tenham sido os mais fortes neste ano, destacando os desafios enfrentados por Pequim em sua luta para controlar a inflação imobiliária.

O mercado imobiliário chinês é visto pelos analistas como um dos maiores riscos financeiros à segunda maior economia do país, ao lado do aumento da dívida de governos locais e pelo crescimento explosivo do sistema "shadow banking" (sistema bancário sem regulação).

Veja também: China 'esfria' e contempla mudanças em modelo econômico

Às 8h25 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão tinha queda de 1,26%, revertendo uma alta inicial que deixou as ações medidas pelo índice perto de uma máxima em cinco semanas atingida na quarta-feira.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.