Tamanho do texto

Dia foi de poucos negócios com investidores cautelosos com feriado e reunião do Copom

A Bovespa encerrou o pregão volátil e de poucos negócios desta segunda-feira (8) no vermelho, com investidores cautelosos antes de feriado que deixará o mercado fechado na terça-feira e da decisão do Banco Central sobre a taxa básica de juros do país na quarta-feira.

O Ibovespa fechou em queda de 0,3%, a 45.075 pontos, após oscilar entre baixa de 0,8% e alta de 1,2%. O horário do pregão voltou a ser encurtado em trinta minutos a partir desta segunda-feira, fechando às 17h.

Leia também: Pequenas e médias empresas estão a caminho de abrir capital na bolsa

O giro financeiro do pregão foi de R$ 4,95 bilhões, bem abaixo da média diária de 2013, de cerca de R$ 7,9 bilhões.

O pregão morno precedeu o feriado da Revolução Constitucionalista em São Paulo na terça-feira, e em meio a uma agenda semanal carregada de eventos relevantes para o mercado.

Nesta sessão, as ações das blue chips Vale e Petrobras foram as principais influências negativas para o Ibovespa. A queda do índice foi limitada pela alta da petroleira OGX, do empresário Eike Batista.

Gol foi destaque positivo do índice, após a agência de classificação de risco Standard & Poor's ter retirado a companhia aérea da lista de observação para possível rebaixamento de rating.

Na agenda da semana, destaque para o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que divulga no fim da quarta-feira a decisão sobre taxa básica de juros do país.

A pesquisa Focus do BC divulgada mais cedo mostrou que o mercado espera aumento de 0,5 ponto percentual da Selic nesta semana, para 8,5% ao ano.

O relatório apontou ainda que economistas reduziram a expectativa para inflação pelo IPCA em 2013 para 5,81%, e cortaram pela oitava semana seguida a projeção para crescimento do PIB brasileiro neste ano, para 2,34%.

No exterior, o destaque da semana fica com a ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, com investidores em busca de sinais sobre o futuro do programa de compra de ativos pelo Fed.

Com esses eventos na pauta, a expectativa é de que a semana na Bovespa seja marcada por volatilidade, segundo o operador Rudimar José Joner Filho, da Banrisul Corretora em Porto Alegre. "O mercado deve ficar nervoso."

(Danielle Assalve)