Tamanho do texto

Amenização da escassez de liquidez na China ajudou a impulsionar o mercado local. Hong Kong liderou os ganhos regionais com alta de 1,6%

Agência Estado

Os mercados de ações asiáticos fecharam majoritariamente em alta nesta quinta-feira, com Hong Kong liderando os ganhos após resultados positivos de indicadores dos EUA. Além disso, a amenização da escassez de liquidez na China ajudou a impulsionar o mercado de ações locais.

Na quarta-feira, os índices em Wall Street fecharam em alta após a divulgação de dados que mostraram que o número de empregos do setor privados dos EUA aumentou mais do que o esperado em junho. A pesquisa foi divulgada ontem pela Automatic Data Processing/Macroeconomic Advisers (ADP/MA). Na sexta-feira, os EUA devem publicar o relatório mensal de trabalho, que nos últimos meses tem sido encarado como um indicador sobre se o futuro do programa de estímulo do Federal Reserve.

Leia também: Setor de serviços da China cresce em junho, mas abaixo do esperado

Hong Kong liderou os ganhos regionais, com o índice Hang Seng fechando em alta de 1,6%, aos 20.468,67 pontos, recuperando-se de sua queda acentuada de 2,5% na quarta-feira. Já na China continental, o índice Xangai Composto reverteu sua abertura em terreno negativo e encerrou a sessão em alta de 0,6%, aos 2.006,10 pontos. O índice Shenzhen Composto subiu 0,6%, para 928,58 pontos.

Entre os fatores positivos para a China, o aperto de liquidez continua recuar. A taxa do acordo de recompra de sete dias caia a 3,9505% no final da tarde na Ásia - abaixo dos 4,2343% na quarta-feira.

Na Austrália, o índice S&P/ASX 200 subiu 1,1% para 4.794,7 pontos. O mercado foi sustentado por bancos e empresas de recursos naturais: Australia & New Zealand Banking Group ganhou 1,1%, Rio Tinto adicionou 1,3% e Fortescue Metals Group subiu 6,8%.

O índice Kospi, da Coreia do Sul, subiu 0,8% em 1.839,14 pontos, antes do anúncio da Samsung Electronics sobre sua projeção de lucros do segundo trimestre, na sexta-feira. A gigante de tecnologia subiu 1,2%.

Veja mais: Jornal inglês acusa a China de tentar suavizar notícias sobre crise econômica

Por outro lado, ainda há preocupações sobre a Europa, após a renúncia do ministro de Relações Exteriores de Portugal, o que aumentou a incerteza sobre os compromissos de resgate dos lusitanos. No início da semana, a Grécia estava em foco, com os investidores preocupados com a capacidade do país de manter seus planos de austeridade.

A crise da dívida europeia abalou os mercados mundiais no ano passado, levando a uma onda de vendas particularmente forte na Ásia. Uma nova rodada de problemas na Europa poderia danificar ainda mais o sentimento já abalado da região.

Em Taipé, o índice Taiwan Weighted caiu 0,2%, para 7893,72 pontos. Já o índice PSEi, das Filipinas, perdeu 0,2%, aos 6464,26, com realização de lucros. Fonte: Dow Jones Newswires.