Tamanho do texto

Na Austrália, o índice S&P/ASX 200, da Bolsa de Sydney, fechou em queda de 1,9%, aos 4.744,10 pontos. O índice Kospi, da Coreia do Sul, caiu 1,6%, para 1.824,66 pontos

Agência Estado

Os mercados de ações da Ásia fecharam em baixa nesta quarta-feira, pressionados por preocupações com Egito, Grécia e China.

Homem observa cotações na bolsa chinesa
ASSOCIATED PRESS/AP
Homem observa cotações na bolsa chinesa

A contínua agitação política no Egito pesou sobre o sentimento dos investidores depois que o presidente do país, Mohammed Morsi, rejeitou os apelos pela sua renúncia em um discurso na terça-feira. Além disso, as ações na Grécia fecharam em queda de 3,2%, uma vez que o mercado foi pressionado por novas preocupações sobre a capacidade do país de cumprir os termos de seu resgate internacional.

"Os mercados já estavam nervosos, com preocupações sobre a China e a redução do [programa de estímulo do] Fed. De repente, você recebe estas más notícias da Europa e isso está despertando todos os tipos de más recordações", disse Nader Naeimi, que dirige os fundos Dynamic Asset Allocation da AMP Capital, em Sydney.

Os agentes do mercado também mostraram cautela antes do relatório mensal do mercado de trabalho dos EUA, que deve ser publicado na sexta-feira. Os dados serão analisados de perto para ver como poderão afetar a política monetária.

Na Austrália, o índice S&P/ASX 200, da Bolsa de Sydney, fechou em queda de 1,9%, aos 4.744,10 pontos. O índice Kospi, da Coreia do Sul, caiu 1,6%, para 1.824,66 pontos. Já na Bolsa de Taipé, o índice Taiwan Weighted recuou para 7911.42 pontos, com baixa de 1,30%.

Na China, os bancos locais continuaram sob pressão uma vez que permanecem preocupações sobre o estado do sistema financeiro chinês depois da crise de escassez de liquidez do mês passado. O índice Xangai Composto caiu 0,6%, para 1.994,27 pontos e o índice Hang Seng, de Hong Kong, recuou 2,5%, para 20.147,31 pontos. O índice Shenzhen Composto fechou estável, aos 923,08 pontos.

Além disso, os últimos dados econômicos aumentaram preocupações de que a recuperação da economia da China continua a se mostrar lenta. O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) oficial do setor de serviços da China caiu para 53,9 em junho, de 54,3 em maio, indicando que a atividade de serviços continuou a expandir, embora a um ritmo mais lento. Enquanto isso, o PMI de serviços chinês do HSBC subiu para 51,3 em junho, em comparação com 51,2 em maio.

O mercado de ações das Filipinas foi a exceção da sessão. O índice PSEi fechou em alta de 0,5% aos 6.480,12 pontos, com investidores interessados em blue chips. Fonte: Dow Jones Newswires.