Tamanho do texto

O contrato mais negociado, para agosto, ganhou US$ 1,55, terminando a US$ 97,05 o barril

Agência Estado

Os contratos futuros de petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam em alta nesta quinta-feira (27), impulsionados por dados positivos sobre a economia dos Estados Unidos, como o aumento nos gastos dos consumidores e a queda nos pedidos de auxílio-desemprego.

-Veja também: dólar vira e sobe 0,23% no penúltimo pregão do mês

O contrato de petróleo mais negociado, com entrega para agosto, ganhou US$ 1,55 (1,62%), terminando a US$ 97,05 o barril. Na plataforma eletrônica ICE, o barril de petróleo do tipo Brent para agosto avançou US$ 1,16 (1,14%) e fechou a US$ 102,82.

O dia foi de agenda cheia de dados sobre a economia americana. Os gastos com consumo —que sozinho responde por cerca de um terço do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA— tiveram aumento de 0,3% em maio ante abril, dentro da expectativa.

O barril de petróleo do tipo Brent para agosto avançou US$ 1,16 (1,14%) e fechou a US$ 102,82
Getty Images
O barril de petróleo do tipo Brent para agosto avançou US$ 1,16 (1,14%) e fechou a US$ 102,82

No caso da renda pessoal, houve expansão de 0,5% em maio, acima da projeção de alta de 0,2% pelos economistas. Já o índice de preços do PCE, o favorito do Fed para medir a inflação, subiu 0,1% em maio e 1% em 12 meses, permanecendo abaixo da meta do banco central de 2%.

Os pedidos de auxílio-desemprego caíram para 346 mil na semana encerrada em 22 de junho, basicamente em linha com a expectativa dos analistas, de 345 mil. Além disso, as vendas pendentes de moradias subiram para o nível mais alto em mais de seis anos, reforçando a recuperação do mercado imobiliário. Por outro lado, os índices de atividade regional das distritais do Fed de Kansas City e de Chicago sofreram queda, mas foram ignorados pelos mercados.

Os comentários de William Dudley, presidente do Fed de Nova York, e do dirigente do banco central Jerome Powell colaboraram para o bom humor dos investidores. Ambos comentaram a reação dos mercados após o comunicado do Fed e a entrevista de Ben Bernanke na semana passada.

Dudley afirmou que os mercados estão errados em pensar que um aperto na política monetária está mais perto e Powell disse que "os ajustes do mercado foram maiores do que seria justificado em qualquer avaliação razoável da trajetória da política monetária".

Mais cedo, a Administração de Informação de Energia (AIE) do governo dos EUA divulgou que o consumo de petróleo no país teve alta anual de 1,2% em abril, incentivado pela demanda por gasolina e combustíveis destilados. O consumo ficou em 18,553 milhões de barris de petróleo por dia em abril. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.