Tamanho do texto

Ibovespa terminou a quinta-feira (27) com valorização de 0,93%, aos 47.609,46 pontos

Agência Estado

A Bovespa encerrou nesta quinta-feira (27) o terceiro pregão consecutivo de ganhos, saindo de 45 mil para 47 mil pontos no período. O movimento recebeu impulso do exterior nesta reta final de fim de mês, trimestre e semestre. A alta desta sessão foi puxada principalmente por Gerdau, bancos e construtoras, enquanto as empresas X, de Eike Batista, caíram.

-Veja também: dólar vira e sobe 0,23% no penúltimo pregão do mês

O Ibovespa terminou em alta de 0,93%, aos 47.609,46 pontos. Na mínima, registrou 47.135 pontos (-0,08%) e, na máxima, 48.053 pontos (+1,87%). No mês, minimizou a perda para 11,02% e, no ano, para 21,89%. O giro financeiro totalizou R$ 6,571 bilhões. Os dados são preliminares.

A valorização interna foi incentivada pelo clima de busca por risco decorrente de dados positivos divulgados nos Estados Unidos. Os gastos pessoais com consumo, por exemplo, subiram 0,3% na comparação com abril, em linha com as previsões, enquanto a renda pessoal avançou 0,5%, acima da previsão de +0,2%.

No mês, o Ibovespa minimizou a perda para 11,02% e, no ano, para 21,89%
Getty Images
No mês, o Ibovespa minimizou a perda para 11,02% e, no ano, para 21,89%

Saíram ainda os números de pedidos de auxílio-desemprego, que caíram para 346 mil na semana encerrada em 22 de junho, ligeiramente acima dos 345 mil previstos. As vendas pendentes de moradias subiram para o nível mais alto desde dezembro de 2006, com +6,7% em maio ante abril e +11,1% ante maio de 2012.

Também agradaram comentários do presidente do Fed de Nova York, William Dudley, de que os mercados estão errados em pensar que um aperto na política monetária está mais perto, e os do dirigente do banco central Jerome Powell, de que "os ajustes do mercado foram maiores do que seria justificado em qualquer avaliação razoável do caminho da política monetária".

O Dow Jones fechou em alta de 0,77%, aos 15.024,49 pontos; o S&P avançou 0,62%, para 1.613,20 pontos; e o Nasdaq teve valorização de 0,76%, a 3.401,86 pontos.

Na Bovespa, Metalúrgica Gerdau PN saltou 6,09% e liderou as altas do índice, enquanto Gerdau PN ficou na segunda posição, com uma arrancada de 5,74%. Os ganhos foram impulsionados por um relatório do Goldman Sachs elevando para compra a recomendação para as ações da empresa.

As construtoras também tiveram recuperação: Brookfield ON +5,30%; Rossi ON +1,67%; MRV ON +1,76%; e Gafisa ON +2,74%.

No setor financeiro, foram destaques de alta: Bradesco PN (+1,03%), Itaú Unibanco PN (2,01%) e BB ON (1,03%). Santander Unit virou nos ajustes e caiu 0,60%.

Em contrapartida, as companhias do grupo X, de Eike Batista, recuaram: LLX ON perdeu 13,60% e liderou as baixas do índice, seguida por OGX ON (-9,68%), MMX ON (-1,20%), CCX ON (-4,55%) e OSX ON (-10,13%).

Petrobras ON avançou 0,61% e PN teve ganho de 1,42%. Vale, que vinha exibindo uma alta consistente, foi perdendo fôlego na reta final, sobretudo perto do fechamento em Wall Street, quando a PN virou para baixo e terminou em -0,19%. A ON ficou estável.

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.