Tamanho do texto

O contrato mais negociado, para agosto, perdeu US$ 2 (0,16%), a US$ 1.275,10 a onça-troy

Agência Estado

Os contratos futuros de ouro negociados na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), fecharam em leve queda nesta terça-feira (25), recuando para o menor nível desde setembro de 2010.

O metal foi pressionado pela divulgação de indicadores econômicos positivos, que sugerem que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) deve mesmo reduzir as ações de estímulo em breve.

-Veja também: ouro fecha no menor nível em mais de dois anos e meio

O contrato de ouro mais negociado, com entrega para agosto, perdeu US$ 2 (0,16%), fechando a US$ 1.275,10 a onça-troy.

Os indicadores dos EUA nesta terça-feira (25) trouxeram notícias positivas. As encomendas de bens duráveis registraram alta de 3,6% em maio, acima da previsão de aumento de 3,2%. A confiança do consumidor medida pelo Conference Board avançou para 81,4 em junho, acima da previsão de 75,5.

O metal foi pressionado pela divulgação de indicadores econômicos positivos nos EUA
Getty Images
O metal foi pressionado pela divulgação de indicadores econômicos positivos nos EUA

As vendas de moradias usadas também superaram a expectativa e subiram 2,1% em maio, para o nível mais alto desde julho de 2008. Já o índice de atividade industrial da região do Fed de Richmond subiu para 8 em junho, de -2 em maio.

Entre outros dados, os preços das residências nas 20 maiores áreas metropolitanas do país subiram 12,1% em abril ante igual mês de 2012, de acordo com a S&P/Case-Shiller. A estimativa era de avanço de 11,1%. Já o índice de preços das moradias medido pela Agência Federal de Financiamento Imobiliário (FHFA, na sigla em inglês) subiu 0,7% em abril, na comparação com março, abaixo da alta de 1,2% esperada.

Os números fizeram o dólar reverter a direção e subir ante os principais rivais, uma vez que reforçam a perspectiva de redução nos estímulos do Fed. Isso é duplamente prejudicial para o ouro, que é denominado na moeda americana e assim se torna mais caro para compradores que usam outras divisas, e porque o metal perde o apelo de "porto-seguro", necessário em momentos de turbulência em outros mercados.

Enquanto isso, as negociações salariais na África do Sul provocaram um aumento nos preços da platina e do paládio, em meio aos temores de interrupção na produção. A Câmara de Minas Sul Africana disse que as conversas devem começar em meados de julho.

O contrato de platina com entrega para julho ganhou 1,61%, a US$ 1.350,50 a onça-troy. O contrato de paládio para setembro avançou 1,66%, a US$ 668,60 a onça-troy.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.