Tamanho do texto

Contrato mais negociado, para agosto, teve alta de US$ 1,49 (1,59%), a US$ 95,18 o barril

Agência Estado

Alta ocorreu após relatos sobre a interrupção no fluxo de um importante oleoduto no Canadá
Getty Images
Alta ocorreu após relatos sobre a interrupção no fluxo de um importante oleoduto no Canadá

Os contratos futuros de petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam em alta nesta segunda-feira (24), após relatos sobre a interrupção no fluxo de um importante oleoduto no Canadá, em função das enchentes que afetam o país.

-Veja também: ouro fecha no menor nível em mais de dois anos e meio

O contrato de petróleo mais negociado, com entrega para agosto, subiu US$ 1,49 (1,59%), fechando a US$ 95,18 o barril. Na plataforma eletrônica ICE, o barril do petróleo do tipo Brent para agosto avançou US$ 0,25 (0,25%), encerrando a US$ 101,16.

Após ter aberto a sessão em forte queda, em função dos temores com uma crise de liquidez no mercado interbancário da China, em meio à desaceleração na economia do país, o petróleo inverteu a direção depois de notícias do fechamento de um oleoduto na região de Cheecham, em Alberta, no Canadá. A Enbrige, operadora do duto, detectou um vazamento de 750 barris que teria sido causado pelas enchentes na região.

A região de Cheecham é uma grande produtora de petróleo de areais betuminosas e ainda não está claro o exato volume de produção afetado. Segundo um porta-voz da Enbridge, o volume afetado só será divulgado se houver um "impacto material nas entregas". O Canadá é o maior exportador de petróleo para os EUA, respondendo por 28% das importações americanas na semana encerrada em 14 de junho.

Enquanto isso, os estoques de petróleo em Cushing (Oklahoma), o ponto de entrega física para os contratos negociados na Nymex, caíram para o menor nível em seis meses, a 48,596 milhões de barris, segundo dados divulgados pela Administração de Informação de Energia do governo dos EUA. As refinarias da costa do Golfo do México têm retirado petróleo de Cushing nas últimas semanas, em função da maior oferta vinda da Dakota do Norte e do Canadá.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.