Tamanho do texto

Queda no dia foi conduzida por Petrobras ON e PN, que caíram 4,74% e 3,29%, nesta ordem

Agência Estado

A Bovespa caiu neste último pregão da semana, ampliando perdas no mês e no ano. Diante das dúvidas em relação à continuidade dos estímulos econômicos nos Estados Unidos e da volta da Grécia ao noticiário, os investidores preferiram fugir da Bolsa brasileira, sobretudo os estrangeiros.

-Veja também: sob influência externa, dólar cai após cinco sessões em alta

O clima de aversão a risco é intensificado pela onda de protestos no País, fator que, segundo operadores, expõe a falta de habilidade do governo em lidar com problemas internos.

O Ibovespa encerrou a sessão desta sexta-feira (21) com perda de 2,4%, aos 47.056,04 pontos, menor patamar desde 28 de abril de 2009 (quando fechou aos 45.821,44 pontos). Na semana, a Bolsa contabiliza desvalorização de 4,61%. No mês, a queda corresponde a 12,05%, e, no ano, chega a 22,80%.

Na semana, a Bolsa contabiliza desvalorização de 4,61%
Getty Images
Na semana, a Bolsa contabiliza desvalorização de 4,61%

No vermelho desde a abertura, o índice chegou a perder o nível dos 47 mil pontos à tarde, em queda de 2,69%, na mínima, aos 46.918 pontos. Na máxima, mostrou ligeira baixa de 0,01%, aos 48.209 pontos. O giro financeiro foi robusto devido à alta volatilidade e somou R$ 10,446 bilhões (dado preliminar).

Dos 71 papéis que compõem a carteira teórica do Ibovespa, apenas 11 conseguiram fechar no azul. A queda no dia foi conduzida principalmente por Petrobras ON e PN, que caíram 4,74% e 3,29%, respectivamente, e por OGX ON, que perdeu 5,75%.

Ainda dentre as blue chips, que são vistas pelos operadores como uma "porta de saída" em dias de fuga de capital, Vale ON recuou 1,62% e Vale PNA registrou desvalorização de 0,66%.

As outras empresas do grupo EBX, do empresário Eike Batista, ficaram entre os destaques de queda do índice, com LLX ON e MMX ON em declínio de 14,17% e de 10,56%, nesta ordem.

Só ficaram atrás de Copel PBN, que liderou as perdas, com deslize de 16,66%, penalizada por declarações do governador do Paraná, Beto Richa, de que pedirá a suspensão do reajuste na tarifa de energia concedido pela Agência Nacional de Energia Elétrica.

Das poucas altas no dia, destaque para BR Properties ON, que subiu 3,81%, seguida por Cielo ON (+3,24%) e Suzano PNA (+1,89%).

Em Wall Street, o índice Dow Jones encerrou o pregão em alta de 0,27%, enquanto o S&P 500 subiu 0,27%. Na contramão, o Nasdaq registrou baixa de 0,22%. Todos os indicadores, porém, acumularam perdas na semana.

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.