Tamanho do texto

A Americas Trading System Brasil pediu autorização à CVM para lançar uma nova Bolsa de Valores no mercado brasileiro

Alan Gandelman, presidente da ATS Brasil
Divulgação
Alan Gandelman, presidente da ATS Brasil

A ATS Brasil (Americas Trading System Brasil) entrou com um pedido para lançar uma nova bolsa de valores no mercado brasileiro, junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), nesta terça-feira (18). A joint-venture entre a Americas Trading Group (ATG) e a NYSE Euronext também pediu autorização para instalar novos provedores de liquidez para o empreendimento.

O executivo Alan Gandelman foi indicado para presidir a empresa e liderar o processo de lançamento e consolidação da nova bolsa, que será controlada pela ATG, com participação minoritária na NYSE Euronext.

Gandelman foi membro do Conselho de Administração da Bovespa (antes da fusão da BM&F e Bovespa), presidente da Câmara de Ações e Derivativos da BM&FBovespa e sócio-diretor da Ágora Corretora.

Para o executivo, a criação de uma nova plataforma de negociação no mercado brasileiro vai "incentivar o crescimento dessa indústria e facilitar o acesso de investidores globais".

O objetivo da nova bolsa, segundo informou a ATS Brasil, será reduzir os custos e proporcionar ganhos de eficiência para os investidores. A empresa também informou que ambiciona posicionar o Brasil entre "os mercados mais atrativos do mundo".

A ATS Brasil deve operar por meio do sistema Universal Trading Platform (UTP), desenvolvido pela NYSE Technologies, braço de tecnologia da NYSE Euronext. A tecnologia ainda está em fase de testes, informou a empresa.

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.