Tamanho do texto

Nas Filipinas, o índice PSEi ganhou 2,1% e encerrou o pregão aos 6.242,26 pontos, depois de mergulhar 6,8% ontem para o seu nível mais baixo desde janeiro

Agência Estado

Os mercados de ações da Ásia fecharam em alta nesta sexta-feira, recuperando-se das fortes quedas na quinta-feira depois que uma reportagem sobre a política monetária dos EUA acalmou os mercados. A Bolsa de Sydney teve a maior alta em 17 meses, e os índices de referência em Xangai e em Manila também voltaram ao terreno positivo.

Homem come sanduíche enquanto passa em frente a painel da bolsa de Tóquio
AP Photo/Koji Sasahara
Homem come sanduíche enquanto passa em frente a painel da bolsa de Tóquio

A recuperação na Ásia seguiu grandes ganhos em Wall Street na quinta-feira depois que um artigo no The Wall Street Journal, escrito pelo colunista Jon Hilsenrath, reduziu preocupações sobre as intenções do Federal Reserve dos EUA de desacelerar seu programa de compra de bônus. O presidente do Fed, Ben Bernanke, deve ressaltar durante uma entrevista coletiva na próxima semana que qualquer redução das compras de bônus será gradual, afirmou o artigo. Além disso, o Fed deverá aguardar um tempo "considerável" depois de terminar o programa de compras para, então, elevar as taxas de juros.

"As autoridades do Federal Reserve têm tentado convencer os investidores por semanas para que não reagissem com exagero quando o banco central começar a desacelerar seu programa de compra de US$ 85 bilhões de bônus por mês", escreveu o colunista Jon Hilsenrath no jornal na quinta-feira. "Um ajuste no programa não significa que ele vai acabar de uma só vez, dizem as autoridades, e mais importante ainda, não significa que o Fed está perto de aumentas das taxas de juros de curto prazo".

O índice S&P 500 subiu 1,5% na quinta-feira em Nova York, impulsionado pela também pelo anúncio de leituras otimistas sobre vendas no varejo e pedidos de auxílio-desemprego.

Nas últimas semanas, a preocupação com um eventual fim das compras de títulos do Fed e os sinais de desaceleração do crescimento nas economias emergentes haviam levado a uma onda de vendas globais de ativos percebidos como mais arriscados.

Nesta sexta-feira, o índice S&P/ASX 200, da Bolsa de Sydney, fechou em alta de 2%, aos 4.791,8 pontos, a maior alta desde janeiro de 2012. O índice atingiu o menor nível em cinco meses e meio aos 4.658,6 pontos na quinta-feira. O S&P/ASX 200 avançou nesta semana pela primeira vez em cinco semanas, com alta acumulada de 1,1%.

Nas Filipinas, o índice PSEi ganhou 2,1% e encerrou o pregão aos 6.242,26 pontos, depois de mergulhar 6,8% ontem para o seu nível mais baixo desde janeiro.

Ganhos em outros mercados foram mais modestos. O índice Xangai Composto ganhou 0,6%, para 2.162,04 pontos, com os investidores buscando pechinchas em ações de pequena capitalização, mas preocupações sobre a desaceleração do crescimento na China limitaram os ganhos. O índice Shenzhen Composto subiu 2,1%, para 975,65 pontos. Em Hong Kong, o índice Hang Seng avançou 0,4%, para 20.969,14 pontos.

Apesar dos bons resultados nos mercados da região e em Wall Street, a Bolsa de Taipé caiu para o terreno negativo, com grande parte dos agentes de mercado tomando uma posição de cautela antes da reunião da próxima semana do Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed (FOMC, na sigla em inglês). O índice Taiwan Weighted perdeu 0,2%, aos 7.930,74 pontos.

O índice Kospi, da Bolsa de Seul, fechou em alta de 0,4% aos 1.889,24 pontos, com compras institucionais, encerrando uma série de três dias de queda. A Samsung Electronics subiu 0,9%, recuperando-se de seis dias consecutivos de quedas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.