Tamanho do texto

Ibovespa terminou a sessão com valorização de 2,51%, aos 50.414,89 pontos

Agência Estado

A Bovespa conseguiu interromper a sequência de quatro pregões em baixa, em que acumulou perda de 7%.

Na esteira de ganhos firmes das bolsas americanas, o Ibovespa retomou os 50 mil pontos, puxado por altas superiores a 3% de Petrobras, Vale e siderúrgicas.

-Veja também: dólar cai 0,46%, após fim do IOF para derivativos

OGX, que pela manhã caía e pressionava o índice, reverteu e também deu sua contribuição para o desempenho desta quinta-feira (13).

O Ibovespa terminou a sessão com valorização de 2,51%, aos 50.414,89 pontos. Na mínima, registrou 48.968 pontos (-0,43%) e, na máxima, 50.444 pontos (+2,57%). No mês, minimizou as perdas para 5,78% e, no ano, para 17,29%. O giro financeiro totalizou R$ 7,949 bilhões. Os dados são preliminares.

No mês, o Ibovespa minimizou as perdas para 5,78% e, no ano, para 17,29%
Getty Images
No mês, o Ibovespa minimizou as perdas para 5,78% e, no ano, para 17,29%

Petrobras ON terminou em alta de 3,77% e a PN com salto de 3,75%. Vale ON subiu 5,10% e a PNA se valorizou 4,56%.

Algumas siderúrgicas foram além: Usiminas ON teve uma arrancada de 10,41%, a segunda maior alta do índice, seguida de Usiminas PNA, com avanço de 8,75%. CSN ON, na sequência, avançou 8,18%. Com fôlego ligeiramente menor apareceram Gerdau PN, +5,65%, e Metalúrgica Gerdau PN, +5,71%.

O papel MRV ON, que disparou 12,2% no fechamento, foi a maior valorização do Ibovespa.

Nos EUA, as Bolsas tiveram um início mais fraco e só engrenaram à tarde, fechando com ganhos acima de 1% e repercutindo os dados divulgados pela manhã. O Dow Jones terminou com alta de 1,21%, aos 15.176,08 pontos, o S&P avançou 1,48%, aos 1.636,36 pontos, e o Nasdaq teve elevação de 1,32%, para 3.445,37 pontos.

Os destaques foram as vendas no varejo e os dados de auxílio-desemprego. Em maio, as vendas no varejo americano subiram 0,6% ante abril, acima da projeção de aumento de 0,4%. Na comparação anual, as vendas avançaram 4,3%.

O número de trabalhadores americanos que entrou pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 12 mil, para 334 mil, na semana até 8 de junho. Economistas esperavam uma leitura de 350 mil solicitações.

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.