Tamanho do texto

Dow Jones caiu 0,06%, a 15.238 pontos, já o S&P 500 teve queda de 0,03%, a 1.642 pontos

Agência Estado

As bolsas de Nova York fecharam majoritariamente em baixa nesta segunda-feira (10), após uma sessão volátil, mas sem grandes movimentações. Após o rali de sexta-feira (7), os investidores não se animaram com a elevação da perspectiva do rating soberano dos Estados Unidos, de negativa para estável, pela agência de classificação de risco Standard & Poor's (S&P). A notícia deu impulso temporário aos índices, que depois se revezaram entre os territórios positivo e negativo até o fim do pregão.

-Veja também: ações de Vale e siderúrgicas caem e Bovespa termina pregão em baixa

O índice Dow Jones perdeu 9,53 pontos (0,06%) e fechou a 15.238,59 pontos. O Dow recuou pela terceira vez em cinco sessões. O S&P 500 caiu 0,57 ponto (0,03%), finalizando a 1.642,81 pontos. O Nasdaq avançou 4,55 pontos (0,13%), para 3.473,77 pontos.

Na sexta-feira (7), as ações entraram em forte rali após o relatório de emprego de maio mostrar que a economia continuou a criar empregos, mas não em quantidade suficiente para motivar uma preocupação com uma possível redução de estímulos pelo Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA).

O Nasdaq avançou 4,55 pontos (0,13%), para 3.473,77 pontos
Getty Images
O Nasdaq avançou 4,55 pontos (0,13%), para 3.473,77 pontos

Nesta segunda (10), o mercado reavaliou as boas notícias. Os índices receberam impulso temporário da revisão da perspectiva do rating soberano AA+ dos EUA pela S&P, que ocorreu minutos antes da abertura dos mercados. A agência citou a força da economia americana e do dólar. Os ganhos, entretanto, foram logo apagados. 

Mais cedo, mais uma autoridade do Fed comentou sobre a expectativa do mercado pelo futuro da política monetária dos EUA. Ele afirmou que qualquer redução nas compras de bônus do banco central deve ser baseada em dados e não em datas específicas. Além disso, segundo ele, as leituras fracas sobre a inflação dos EUA significam que o Fed terá de seguir adiante com as compras de bônus por mais tempo que o esperado.

No noticiário corporativo, as ações do Google subiram 1,2% após o Wall Street Journal informar que a empresa está prestes a comprar a israelense Waze, especializada em softwares de mapas e localização via celulares, por mais de US$ 1 bilhão.

A Apple reverteu os ganhos do início da sessão e fechou em queda de 0,7% depois de a empresa ter lançado, em sua conferência mundial para desenvolvedores, o iOS 7, novo sistema operacional para iPhones e iPads.

O McDonald's ganhou 1,3% após anunciar resultados de vendas melhores do que o previsto em maio.

Na Europa, a maioria das Bolsas também fechou em queda, após uma sessão igualmente volátil. A semana começou com a repercussão dos dados frustrantes da China. Em maio, as exportações chinesas cresceram apenas 1% na comparação com o mesmo mês de 2012. Outro foco de atenção foi a Itália.

Na terceira maior economia da zona do euro, a queda do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre do ano foi revisada para pior: 0,6% ante os últimos três meses de 2012. O dado preliminar sinalizava queda de 0,5%. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.