Tamanho do texto

Ibovespa fechou em queda de 0,59%, aos 51.316 pontos; giro financeiro foi de US$ 6,203 bi

Agência Estado

A queda do Ibovespa para o menor nível desde o início de outubro de 2011, no pregão anterior, seria um atrativo natural para a recomposição de preços do mercado acionário doméstico nesta segunda-feira (10). A Bolsa brasileira, entretanto, seguiu outro caminho.

-Veja também: Banco Central atua, mas dólar tem maior nível desde abril de 2009

O índice teve um dia volátil e continuou refém do desempenho das Bolsas americanas e da falta de atrativos para a compra de papéis. Vale e siderúrgicas, por causa de dados ruins da China, caíram forte e pesaram sobre o indicador, apesar da alta de OGX e Petrobras.

O Ibovespa terminou o pregão em baixa de 0,59%, aos 51.316,65 pontos, e renovou o menor patamar desde 7 de outubro de 2011 (51.243,62 pontos). Na mínima, registrou 51.160 pontos (-0,89%) e, na máxima, 51.836 pontos (+0,42%). No mês, acumula perda de 4,09% e, no ano, de 15,81%. O giro financeiro totalizou R$ 6,203 bilhões. Os dados são preliminares.

No mês, o Ibovespa acumula perda de 4,09% e, no ano, de 15,81%
Getty Images
No mês, o Ibovespa acumula perda de 4,09% e, no ano, de 15,81%

A mudança da perspectiva do rating americano pela Standard & Poor's (S&P), de negativa para estável, não chegou a entusiasmar Nova York, que fechou praticamente no zero a zero. O Dow Jones teve desvalorização de 0,06%, aos 15.238,59 pontos, o S&P recuou 0,03%, aos 1.642,81 pontos, e o Nasdaq subiu 0,13%, para 3.473,77 pontos.

No mercado externo, destaque para os dados da China, que penalizaram Vale e siderúrgicas. No fim de semana, Pequim anunciou indicadores que mostram que a atividade econômica chinesa sofre com a fraqueza global.

Vale ON recuou 1,01% e PNA perdeu 1,58%. Gerdau PN caiu 1,88%, Metalúrgica Gerdau PN teve baixa de 1,86%, Usiminas PNA cedeu 1,94% e CSN ON teve queda de 1,63%.

Petrobras perdeu fôlego na reta final da sessão e acabou terminando em +0,62% na ação ON e em +0,21 na PN. O mesmo aconteceu com OGX, que subiu 4,03%, bem menos que os 8,87% na máxima da sessão.

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.