Tamanho do texto

Às 16h25, o Ibovespa perdia 2,12%, a 52.875 pontos; giro financeiro era de R$ 6,2 bilhões

Reuters

O principal índice acionário da Bovespa acelerou a queda para cerca de 2% na tarde desta quarta-feira (5), rondando o patamar dos 52 mil pontos, diante do pessimismo externo e da decisão do governo brasileiro de zerar a alíquota do IOF para investimentos estrangeiros em renda fixa.

Às 16h25, o Ibovespa perdia 2,12%, a 52.875 pontos. O giro financeiro do pregão era de R$ 6,2 bilhões.

-Veja também: Bovespa ignora fase ruim e abre o mês em alta de 0,82%

O ambiente externo de aversão ao risco contribuía para a piora da Bovespa nesta tarde, diante das incertezas sobre o futuro dos estímulos monetários nos Estados Unidos e a decepção com os esforços do Japão para impulsionar o crescimento.

O ambiente externo de aversão ao risco contribuía para a piora da Bovespa nesta tarde
Getty Images
O ambiente externo de aversão ao risco contribuía para a piora da Bovespa nesta tarde


Também pesava sobre o mercado a decisão do governo federal de cortar de 6% para zero o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre recursos estrangeiros destinados para a renda fixa.

A decisão deve motivar alguma migração de recursos da Bovespa para a renda fixa, que também se beneficia da alta dos juros —o mercado espera que a Selic, hoje em 8%, termine 2013 em 8,5% ao ano.

Além de contribuir para o mau humor na Bovespa, a mudança no IOF também impunha volatilidade aos mercados de câmbio e de juros futuros. 

Em maio, investidores estrangeiros retiraram pouco mais de R$ 1 bilhão da Bovespa, em meio às preocupações com as perspectivas para a economia brasileira.

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.