Tamanho do texto

Índice MSCI, que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, caiu 0,56%, atingindo sua mínima em quase sete semanas

Reuters

Os investidores embolsaram os lucros dos ralis recentes nas ações asiáticas, frente à incerteza sobre por quanto mais tempo o estímulo atual dos Estados Unidos irá continuar.

Índice acionário japonês Nikkei recuou 3,72%, para mínima de seis semanas
AP
Índice acionário japonês Nikkei recuou 3,72%, para mínima de seis semanas

Às 8h01 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão caía 0,56%, atingindo sua mínima em quase sete semanas. Uma queda nesta sessão marcará o quarto dia consecutivo de perdas. O índice encerrou maio em baixa de 4,7%, o pior mês em um ano.

Os investidores irão analisar mais dados dos Estados Unidos nesta semana, em busca de evidências de perspectivas de crescimento e de demanda na maior economia do mundo.

A especulação sobre a possibilidade e o momento que o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, pode começar a reduzir o programa de compra de títulos maciço atual de estímulo surgiu após uma série de dados norte-americanos positivos e foi o catalisador para as correções nos mercados, que vêm recebendo forte suporte do estímulo do Fed.

Veja também: Na onda das privatizações, marcas são atraídas para transportes coletivos

Dados mostrando que o crescimento chinês falhou em ganhar impulso não deram razões para uma mudança no sentimento fraco.

As ações australianas perderam 0,78%, as sul coreanas caíram 0,57%, enquanto as de Xangai perderam alguns ganhos anteriores para cair 0,06%.

O amplo sentimento pessimista pesou sobre o índice acionário japonês Nikkei, que recuou 3,72%, para mínima de seis semanas. A bolsa de Taiwan caiu 0,65%, enquanto Cingapura teve queda de 0,61%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.