Tamanho do texto

Papéis, que têm forte peso no Ibovespa, ajudam a derrubar a bolsa nesta quarta-feira

As ações ordinárias e preferenciais da Petrobras registram forte queda e ajudam a pressionar em baixa o índice nesta quarta-feira. Os investidores reagiram mal ao anúncio do reajuste de 6% da gasolina nas refinarias, que serão repassados aos consumidores, mas não integralmente. Por volta de 16h05, os papéis ordinários da petrolífera caíam 3,98%, enquanto os preferenciais tinham queda de 3,71%.

Mais : Petrobras reajusta gasolina em 6,6% nas refinarias

Para o analista Roberto Altenhofen, da Empiricus Research, o reajuste em si era amplamente esperado, mas veio abaixo do que o mercado esperava. "Ainda assim, é uma referência inegavelmente positiva para a companhia, de maior alinhamento aos preços internacionais, melhora nos resultados do segmento de refino e diluição do risco sobre a estrutura de capital", afirma.

Também : Petrobras terá de elevar investimentos em produção

"A materialização do reajuste gera um sinal favorável ao processo de revisão dos ratings da estatal, em um momento de grande preocupação com a capacidade de Petrobras se capitalizar diante do enorme plano de investimentos. Enfim temos a referência para os preços. Mas continuamos aguardando um sinal de vida da produção”,  completa Altenhofen.

Atualmente, a gasolina recebe uma mistura de 20% de etanol, enquanto a do biodiesel no diesel é de 5%. Como um decreto deve elevar para 25% essa mistura, o aumento nos postos deve ser diluído e ficar em torno de 4,2%

(com Reuters)