Tamanho do texto

Veja qual foi o rendimento das principais opções do mercado financeiro em 2012

O ouro, que foi a melhor aplicação de 2011 , encerra mais um ano em primeiro lugar no ranking das principais opções de investimento do mercado financeiro. O metal teve alta de 15,26% em 2012, enquanto o dólar subiu 9,42% e as ações mais negociadas da Bolsa, medidas pelo Ibovespa, se valorizaram 7,4%.

Dois fatores explicam a liderança do ouro. O primeiro foi o ano turbulento no mercado internacional, com a Europa ainda em crise, a China crescendo menos e os EUA sem definir questões fiscais que podem frear a recuperação do país. Num ambiente de volatilidade, muitos investidores preferem a segurança do ouro, o que faz o metal se valorizar.

Outra questão é a alta do dólar. Como o ouro tem pouca liquidez no Brasil, sendo mais negociado em bolsas do exterior, a cotação dele aqui é definida pelo preço do metal e também pelo valor da moeda americana, usada para comprá-lo lá fora.

A perspectiva para 2013 é que o ouro possa continuar a se beneficiar das incertezas no mercado externo. "O ouro, assim como o dólar e o euro, será uma opção conservadora atraente para a diversificação. Se as coisas melhorarem, a tendência é que o ouro dê uma recuada, se piorarem, tem espaço para subir ainda mais", explica o gestor de fundos Fábio Colombo.

O ranking de 2012

Veja qual foi o rendimento das principais aplicações ao longo do ano (em %)

Gerando gráfico...
Fonte: Fábio Colombo / * média / ** indicativo


Dólar e euro

As principais moedas estrangeiras tiveram valorização expressiva em 2012, com o dólar subindo 9,43% e o euro se valorizando 11,68%. A moeda americana encerra o ano valendo R$ 2,0447 na venda (dólar comercial). "Isso é reflexo da balança comercial brasileira, que vem piorando, em função de os juros terem caído muito e os investidores não estarem mais colocando dinheiro aqui", afirma Colombo. Com menos dólares no mercado, seu preço sobe.

Ações

Após um inicio de ano com altas significativas, noticias ruins provocaram recuos nas principais bolsas do mundo. Primeiro, o desaquecimento da economia chinesa, seguido pelo agravamento da crise europeia e revisões para baixo nas projeções de crescimento global.

Mais recentemente, a falta de soluções para o “abismo fiscal” americano também causou perdas nos mercados. “É uma questão de suma importância para o resto do mundo”, explica Colombo.

Ainda assim, a Bovespa encerrou o ano no terreno positivo, com valorização de 7,40%. "As principais bolsas do mundo tiveram desempenho melhor, o Brasil ficou para trás por causa da Petrobras, cujas ações caíram por volta de 15%, além do PIB fraco do ano", diz o administrador.

"Mas, em razão de os preços das ações ainda estarem bem depreciados na maioria das bolsas, inclusive no Brasil, há boa chance de que 2013 o ano seja bom para as bolsas", afirma.

Poupança

A poupança encerra o ano com a menor rentabilidade entre as opções do mercado financeiro, registrando alta de 6,05%. A rentabilidade da caderneta foi reduzida em maio pelo governo para permitir que a Selic continuasse em queda. Com isso, a poupança passou a render 70% da taxa básica de juros, mais a Taxa Referencial (TR).

Vale lembrar, porém, que ao contrário de todas as outras opções a poupança é isenta de imposto de renda, o que pode fazer com que seu rendimento seja melhor que o retorno real de algumas concorrentes.

Confira as melhores aplicações a cada mês de 2012:

Janeiro: Bovespa (+ 11,1%)

Fevereiro: Bovespa (+ 4,34%)

Março: dólar e euro (+ 6,5%)

Abril: ouro (+ 5,3%)

Maio: dólar (+ 5,8%)

Junho: ouro (+ 2,33%)

Julho: Bovespa (+ 3,2%)

Primeiro semestre: ouro (+ 8,8%)

Agosto: ouro (+ 4,67%)

Setembro: ouro (+4,5%)

Outubro: euro (1%)

Novembro: euro (5,05%)

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.