Tamanho do texto

Com a operação, bolsa americana abre duas frentes aqui, que ameaçam a hegemonia da BM&FBovespa

Em uma manobra que surpreendeu o mercado mundial, a operadora de bolsas de valores Intercontinental Exchange (ICE), conhecida pela atuação com contratos futuros de commodities, anunciou nesta quinta-feira a compra por US$ 8,2 bilhões da NYSE Euronext , que controla a Bolsa de Nova York e outras na Europa, como a de Amsterdã. Embora a transação tenha sido feita em solo americano e tenha como meta clara a aquisição da Liffe, plataforma da NYSE para derivativos que abre as portas do mercado europeu com força para a ICE, seus desdobramentos atingem a concorrência no mercado brasileiro. Procuradas por BRASIL ECONÔMICO, NYSE e ICE disseram que não iriam se pronunciar.

Aqui, a ICE é detentora de 12,3% do capital da Cetip, que oferece produtos e serviços de registro, custódia, negociação e liquidação de ativos e títulos e já anunciou que está preparada para virar bolsa. Já a NYSE Euronext havia anunciado em novembro deste ano um acordo com o grupo brasileiro Americas Trading Group para criar a Americas Trading System (ATS). Com investimento de US$ 100 milhões, as empresas devem estrear até o fim de 2013 e querem atingir 15% do mercado brasileiro em um ano.

A ICE deve enfrentar no Brasil seu maior concorrente, o CME Group, que tem parceria com a BM&FBovespa e, até o primeiro semestre deste ano, era líder em contratos de derivativos de commodities, com 413,7 milhões de operações no mundo. “Temos essas duas frentes da ICE, a Cetip e a NYSE, atuando no mercado brasileiro e a NYSE poderia usar a Cetip como atalho mais dinâmico para fazer uma concorrência mais forte com a BM&FBovespa nos próximos anos”, afirma o analista da Empiricus, Rodolfo Amstalden.

Ontem, os papéis ordinários da Cetip fecharam em alta de 4,51%, para R$ 25,50. Para o analista, o negócio fechado influencia a valorização do papel, mas é preciso considerar que ele está barato, porque sofreu pela fraqueza do mercado de veículos e de registro de títulos de renda fixa durante o ano. Desta forma, a alta de ontem também pode ser atribuída ao anúncio de renovação de IPI menor para carros até junho, feito na véspera. As ações da BM&FBovespa fecharam em queda ontem, de 2,31% a R$ 13,97, diante da perspectiva de maior concorrência.

No caso da NYSE, as ações subiram 34% ontem. “A transação é uma resposta à evolução da infraestrutura do mercado e oferece uma série de oportunidades de crescimento”, disse o presidente-executivo da ICE, Jeff Sprecher, em comunicado. A compra, que fará a ICE ter um aumento de 15% nos lucros no primeiro ano de operação conjunta e sinergias de US$ 450 milhões, dará origem à terceira maior operadora de bolsas do mundo, com valor de mercado de US$ 15,2 bilhões, ainda atrás do CME Group, com US$ 17,5 bilhões, e da Hong Kong Exchanges and Clearing, com US$ 19,5 bilhões.

“A compra faz sentido”, diz Bernardo Mariano, analista da Equity Research Desk. Em 2011, o Departamento de Justiça norte-americano não autorizou oferta conjunta de US$ 11 bilhões entre a ICE e a Nasdaq pela NYSE, temendo a concentração no mercado de ações nos EUA. “Se olhar agora, a NYSE está muito barata”, diz.

A ICE disse que pretende fazer uma oferta pública inicial de ações da Euronext, braço da NYSE no negócio de ações na Europa, depois que a operação de compra for fechada na segunda metade de 2013. Para isso, é preciso autorização dos reguladores, o que segundo os analistas não deve ser um grande problema. “Não há concentração de negócios, ao contrário do que veríamos se a Deutsche Borse se unisse à NYSE”, diz Mariano, sobre a tentativa de negócio barrada em fevereiro deste ano.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.