Tamanho do texto

Lojas prorrogam para 100 dias o primeiro pagamento de cartões próprios e bancos estimulam crediário

O final de ano, com os inúmeros encontros e celebrações, é uma época farta não só de comida, como também de oportunidades para o varejo vender ainda mais. E para melhorar o desempenho nessa época do ano, uma das estratégias das lojas é oferecer melhores condições de crédito aos clientes. Aumento na quantidade de parcelas sem incidência de juros, carência de até cem dias para começar a pagar são algumas das opções disponíveis.

Além dos parcelamentos sem juros, os emissores de cartões estão estimulando o uso de uma nova função, que é o crediário no próprio plástico.

O diretor de empréstimos e financiamentos do BB, Marcelo Labuto, lembra que essa função de crediário já existia no banco, mas que foi o programa “Bom pra Todos”, lançado em abril, que contribuiu para o seu crescimento, uma vez que os juros foram reduzidos. Antes do programa, o banco fazia R$ 11 milhões ao mês nessa modalidade, com um juro médio de 3,36%. Atualmente, o desembolso está em R$ 51,3 milhões, com taxa média de 1,95%. O Bradesco também tem esse produto na prateleira. Em ambos os casos, há uma parceria com a Cielo.

De acordo com o presidente da empresa credenciadora, Rômulo Dias, o volume financeiro do crediário na máquina até 7 de dezembro foi de R$ 303 milhões. O executivo explica que o ganho para a Cielo é o mesmo de quando a pessoa compra no parcelado lojista (em que não há cobrança de juros) e que é uma alternativa para complementar a oferta de produtos ao lojista. “O lojista paga a mesma taxa, mas ele recebe o dinheiro em D+1, então não precisa pagar a taxa de antecipação de recebíveis nem bancar a operação de capital de giro”, disse, sobre os benefícios dessa opção.

Empurrão extra

Na avaliação do presidente da Partner Consultoria, Álvaro Musa, esses procedimentos são válidos porque de fato ajudam no incremento das vendas. “Em datas comemorativas, é natural que ocorra um aumento do prazo para o pagamento ou do número de parcelas sem juros”, afirmou.

No Carrefour, que decidiu dar melhores condições a quem paga com o cartão da rede, os plásticos são emitidos pelo banco Carrefour, no qual o Itaú tem 49% de participação.

Os clientes da rede de supermercados francesa podem optar por um maior número de prestações nas compras feitas em determinados departamentos (bazar, têxtil e eletroeletrônicos), sendo que a primeira prestação pode ser paga em até cem dias. Mesmo a compra de bens imediatos, como alimentos, também está com condições mais favoráveis.

Nas lojas de departamento, a tendência é a mesma. As Lojas Renner reeditaram a promoção “60 dias para começar a pagar”. Em geral, o cliente que usa o cartão da loja faz o primeiro pagamento em 30 dias. A promoção terminou no domingo, e foi uma forma encontrada pela varejista para antecipar o aumento de vendas. Opção similar fez a C&A, que oferece cem dias de carência a seus clientes que usam o plástico como meio de pagamento.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.