Tamanho do texto

Preocupações com as perspectivas dos EUA e a crise da zona do euro derrubaram bolsas

Reuters

LONDRES - As ações europeias despencaram para o menor nível de fechamento em três meses e meio nesta sexta-feira, e encerraram sua pior semana desde o fim de setembro, devido às persistentes preocupações sobre as perspectivas fiscais dos Estados Unidos e à crise da dívida na zona do euro.

Segundo números preliminares, o índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações europeias, fechou em queda de 0,95%, aos 1.068 pontos.

"Os investidores estão bastante cautelosos e incertos, foi uma semana difícil", disse o analista de mercados do CMC Markets Michael Hewson.

"Existe uma aceitação crescente de que não haverá uma solução rápida nem nos EUA nem na Europa e... o que as pessoas estão começando a fazer é tirar um pouco de dinheiro da mesa para o ano, porque mais altas devem ser bastante limitadas."

Os investidores se focaram de novo no potencial impacto econômico dos cortes de gastos e altas de impostos que entrarão em vigor nos Estados Unidos no início de 2013. Os mercados europeus fecharam antes do fim do encontro do presidente norte-americano, Barack Obama, com líderes do Congresso nesta sexta-feira.

As incertezas sobre os próximos passos em relação às finanças da Grécia também pesaram sobre o sentimento, com a ações bancárias na zona do euro mais afetadas, recuando 2,72%.

Em LONDRES, o índice Financial Times teve variação negativa de 1,27%, para 5.605 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 1,32%, para 6.950 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 1,21%, a 3.341 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve baixa de 2,02%, para 14.855 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 caiu 1,39%, a 7.588 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 registrou recuo de 1,91%, para 5.137 pontos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.