Tamanho do texto

Presidente da empresa diz que não vai esperar o anúncio das medidas de estímulo para acesso das PMEs à BM&FBovespa

A Senior Solutions, segunda empresa a se listar no Bovespa Mais sem emitir ações, não irá aguardar a divulgação das medidas de incentivo a pequenas e médias empresas (em estudo por um grupo de trabalho) para levar adiante sua oferta de ações. “Claro que qualquer incentivo para fomentar esse mercado vai nos ajudar. Mas estamos preparados para jogar o jogo de acordo com as regras atuais”, afirma Bernardo Gomes, presidente da provedora de tecnologia para o mercado financeiro.

Ainda não há um prazo definido pela companhia para captar recursos na BM&FBovespa. Mas, a partir do momento que a decisão for tomada, o executivo espera que a operação seja concluída em, no máximo, três meses. “Tomamos a decisão de quebrar o processo de abertura de capital em duas etapas e nos mantivemos fiel a ela”, diz.

De acordo com o executivo, a oferta da companhia tem características diferentes das usualmente feitas pelas empresas brasileiras: não contará com investidores estrangeiros — os locais são menos suscetíveis às oscilações externas. A Senior Solutions acredita também que será beneficiada pela queda recente da taxa básica de juros (Selic).

Gomes considera as medidas avaliadas por entidades do mercado financeiro e de capitais são de suma importância. “Sabemos que nossa oferta será destinada aos investidores que buscam rentabilidade no médio e longo prazo e que não priorizam liquidez”, acredita Gomes, citando uma das medidas sugeridas no início da semana por um grupo de trabalho que avalia essas medidas.

“Uma das propostas oferece incentivo fiscal aos investidores de acordo com o tempo de permanência no ativo, similar aos fundos de previdência privada. Faz todo sentido, já que pequenas e médias empresas precisam de um tempo maior para executar seu plano”, diz.

Outro ponto discutido na reunião — da qual o executivo participou — são os custos de realização de uma oferta de ações. Na sua opinião, isso não é um impeditivo. Para a listagem no Bovespa Mais, os custos fixos somaram R$ 299,5 mil, ou 0,7% da receita bruta anual, e os custos anuais da manutenção da listagem somam R$ 327,5 mil.

Resultados trimestrais

A despeito do momento adverso pelo qual o setor financeiro passa, os resultados trimestrais da Senior Solutions foram bastante positivos. O lucro líquido entre julho e setembro deste ano totalizou R$ 2,4 milhões, crescimento de 135% em relação a igual período do ano anterior. A lucratividade, medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda), seguiu a mesma direção: saltou de R$ 1,8 milhão para R$ 2,8 milhões ao final do trimestre.

Os resultados, segundo Gomes, devem-se à expansão de 27% da receita líquida entre o terceiro trimestre do ano passado e o mesmo período deste ano, e ao avanço dos custos em velocidade inferior a da receita, de 23%.

“A busca por eficiência por parte das instituições financeiras em função da queda da taxa de juros e aumento da inadimplência neste ano impulsionou os resultados da unidade de consultoria, que apresentou crescimento de 33,6%”, destaca o presidente.

A listagem no Bovespa Mais, segmento de acesso de pequenas e médias empresas à bolsa brasileira, ainda não impactou os números da companhia. Segundo o executivo, isso já era esperado. “O ingresso no Bovespa Mais tem efeito institucional, no sentido de que nossos clientes nos diferenciam em relação aos concorrentes, tanto no que diz respeito à transparência quanto à divulgação de resultados”, completa Gomes.

Ainda assim, esse é o terceiro trimestre consecutivo desde a abertura de capital que a provedora de tecnologia para o setor financeiro registra crescimento, com receita trimestral recorde desde o início de suas operações, em 1996.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.