Tamanho do texto

Banco divulgou queda de 63% no lucro líquido por encargos causados principalmente pela própria dívida da instituição

Reuters

O Credit Suisse vai cortar mais 1 bilhão de francos suíços (US$1,1 bilhão) em custos, incluindo mais reduções de empregos, depois que o lucro do terceiro trimestre caiu mais de 50% por perdas geradas pelo valor de sua própria dívida.

Mercados financeiros voláteis, fraqueza no segmento de assessoria de negócios e regras de capital mais duras após a crise financeira de 2007-2009 estão forçando bancos de investimento ao redor do mundo a reduzir despesas. Além disso, a crise da zona do euro tem pressionado muitas instituições a cortar ainda mais.

O Credit Suisse divulgou queda de 63% no lucro líquido, para 254 milhões de francos, ficando abaixo da média de estimativas de analistas de resultado positivo de 370 milhões. O terceiro trimestre foi atingido por encargos de 1,05 bilhão de francos, causados principalmente pela própria dívida da instituição.

O rival suíço UBS, que divulga resultado na terça-feira, também deve anunciar cortes de vagas para proteger o lucro enquanto vai deixando áreas mais arriscadas de operações de banco de investimentos.

O Credit Suisse informou nesta quinta-feira que está projetando 4 bilhões de francos em economias de custos até 2015, ante meta de 3 bilhões definida em julho e número anterior de 2 bilhões.

O banco, que já está demitindo 3.500 funcionários, ou 7% de sua força de trabalho, informou que as reduções de postos serão inevitáveis para que consiga atingir as economias adicionais. A instituição, porém, não informou quantas vagas a mais pretende eliminar.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.