Tamanho do texto

"O consumidor pode pagar menos pelo crédito ou ter mais facilidade porque a empresa conhece ele e sabe que ele é bom pagador", disse Esteves Colnago, da Fazenda

Agência Estado

O diretor de programas da Secretaria Executiva do Ministério da Fazenda, Esteves Colnago, disse que o cadastro positivo é um incentivo à redução do spread - taxa que representa a diferença entre o que os bancos pagam para captar recursos no mercado e o juro cobrado dos clientes - do crédito. Segundo ele, a experiência internacional mostra que o spread cai com o funcionamento do cadastro positivo.

"O consumidor pode pagar menos pelo crédito ou ter mais facilidade porque a empresa conhece ele e sabe que ele é bom pagador", disse Colnago. O diretor evitou, no entanto, fazer previsões sobre o potencial de redução dos custos no País com a regulamentação do cadastro positivo. "Como vai ser no Brasil? É difícil de mensurar", afirmou.

Na opinião de Colnago, o cadastro positivo será mais importante para as pessoas que não têm conta em banco. "É importante para a pessoa que não tem conta bancária. Faz um crediário e a empresa não tem como chegar para dizer que ele (é) um bom pagador", destacou. Colnago lembra que a redução do custo dos financiamento é possível porque a empresa, com o cadastro positivo, acaba tendo mais informações sobre o tomador do empréstimo.