Tamanho do texto

Moeda norte-americana teve variação negativa de 0,02%, a R$ 2,0409 na venda

Reuters

O dólar fechou praticamente estável ante o real nesta quinta-feira, com investidores evitando fazer grandes operações em véspera de feriado no Brasil e com o mercado ainda travado devido à constante vigilância do Banco Central.

A moeda norte-americana teve variação negativa de 0,02%, a R$ 2,0409 na venda, e fechou perto da máxima da sessão de R$ 2,0420. A mínima foi de R$ 2,0352.

Ao longo do dia, a divisa chegou a cair mais após dados melhores do que o esperado de auxílio-desemprego nos Estados Unidos trazerem otimismo aos investidores.

Na semana, o dólar acumulou ganhos de 0,52% frente ao real, pressionado por temores sobre a economia global. Na quarta-feira, a moeda fechou no maior patamar em pouco mais de um mês.

Operadores, no entanto, acreditam que a tendência é que a divisa continue próxima ao nível de 2,03 reais.

"Como é feriado na sexta-feira, os investidores acabam se resguardando um pouco mais, preferem não ficar muito vendidos. Mas a moeda deve ficar mais nesse patamar de R$ 2,03", disse o superintendente de câmbio da Intercam Corretora, Jaime Ferreira.

O dólar vem apresentando variações modestas em função das recentes atuações do BC no mercado de câmbio.

A autoridade monetária já deixou claro que não quer um câmbio abaixo de 2 reais nem acima de 2,10 reais, mas a divisa norte-americana tem se mantido em uma faixa ainda mais estreita de negociação, entre 2 e 2,05 reais.

Operadores, porém, só vêm o BC voltando a atuar na ponta vendedora de dólares, para impedir que a moeda suba, no caso de um avanço mais repentino que leve a moeda para perto do patamar de 2,10 reais.

"Não acredito que ele (o BC) chegaria a atuar vendendo dólares perto do 2,05 reais, ele só faria isso no caso de uma pressão muito grande, um salto mais rápido, talvez com a moeda chegando a 2,08 reais", disse Ferreira.

(Reportagem de Danielle Fonseca; Edição de Walter Brandimarte)