Tamanho do texto

Queda nos pedidos de auxílio-desemprego nos EUA surpreende e anima investidores, mesmo com a redução da nota de crédito da Espanha

Reuters

As ações europeias tiveram um rali nesta quinta-feira, com uma queda no número de pedidos de auxílio desemprego nos Estados Unidos impulsionando esperanças de recuperação para a maior economia do mundo, enquanto o rebaixamento do rating de crédito da Espanha elevou expectativas de que Madri venha a pedir um resgate em breve.

Leia mais: Bovespa sobe e dólar cai

Segundo números preliminares, o índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações europeias, fechou em alta de 0,86%, aos 1.099 pontos, interrompendo uma série de três sessões de perdas, durante a qual o índice acumulou queda de 1,9%.

"Estamos comprando na baixa, acrescentando ações às carteiras. O fluxo de notícias, em geral, não é muito ruim, e já tivemos alertas de lucros preocupantes, o que faz com que as expectativas para os próximos resultados na temporada de balanços não sejam muito elevadas", disse o gerente de fundos da Talence Gestion Alexandre Le Drogoff.

"Mesmo que o crescimento econômico permaneça lento, nós temos a sensação de que as redes de segurança colocadas em prática pelo BCE funcionarão, e é um grande alívio. Isso basicamente traz de volta a visibilidade", completou.

Dados mostraram nesta quinta-feira que o número de norte-americanos solicitando auxílio-desemprego caiu na semana passada para o menor nível em mais de quatro anos e meio, sinalizando uma melhora do mercado de trabalho local.

Ações de empresas de artigos de luxo ganharam nesta quinta-feira, com a grife Burberry fazendo comentários tranquilizadores sobre as tendências de suas vendas --um mês após um alerta preocupante de lucro--, ajudando o setor de reverter uma parte das perdas do mês, com operadores também mencionando a cobertura de posições vendidas.

As ações da Burberry subiram 13,6%, as da Louis Vuitton LVMH avançaram 4,1%, e as da fabricante de relógios suíça Richemont tiveram ganhos de 4,5%.

Em LONDRES, o índice Financial Times subiu 0,92%, a 5.829 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX teve alta de 1,06%, para 7.281 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 avançou 1,42%, a 3.413 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib ganhou 1,26%, para 15.634 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 subiu 0,87%, a 7.734 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 avançou 1,25%, para 5.376 pontos.

(Reportagem de Blaise Robinson)

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.