Tamanho do texto

É praticamente total a migração das posições para um cenário que contempla queda da Selic em 0,25 ponto porcentual, para 7,25% ao ano

Agência Estado

As taxas futuras de juros mantêm a queda acentuada nesta sexta-feira. No embalo de declarações feitas na quinta-feira (04) pelo diretor de Assuntos Internacionais do Banco Central, Luiz Awazu Pereira da Silva, e após um IPCA de setembro sem surpresa, é praticamente total a migração das posições para um cenário que contempla queda da Selic em 0,25 ponto porcentual, para 7,25% ao ano, na reunião do Comitê de Política Monetária da próxima semana.

E os níveis de juros futuros atribuíam ainda a expectativa de que um novo corte na taxa básica poderá ser reprisado em novembro, o que estava descartado até a quinta-feira, além de praticamente zerar a expectativa de alta da Selic em 2013. A queda das taxas ocorre em meio a um volume expressivo de negócios.

Às 14h17, o contrato para janeiro de 2013 indicava taxa de 7,10%, de 7,19% no ajuste. O giro de negócios com esse vencimento somava 770.655 contratos, mais do que o dobro do volume de 383.290 contratos do pregão completo do dia anterior. A taxa projetada no contrato para vencimento em janeiro de 2014 recuava a 7,41%, no horário acima, após ter tocado a mínima de 7,39% mais cedo, de 7,59% no ajuste. O giro com esse contrato era de 709.980 contratos até as 14 horas, 138% acima do volume de todo o pregão anterior.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.