Tamanho do texto

Medo de atuação da autoridade monetária trava mercado de câmbio e investidores mantêm cautela diante do impasse da Espanha quanto a um pedido de resgate financeiro

Reuters

O dólar fechou praticamente estável ante o real nesta terça-feira, em mais uma sessão de baixa volatilidade, com o mercado travado pelo receio de atuação do Banco Central.

Investidores também se mantiveram cautelosos diante do impasse da Espanha quanto a um possível pedido de resgate financeiro.

A moeda norte-americana teve leve variação positiva de 0,03%, cotada a R$ 2,0270 na venda. Durante o dia, a moeda oscilou entre R$ 2,0235 e R$ 2,0290.

"O mercado brasileiro perdeu a volatilidade. Lá fora, os mercados continuam preocupados com os problemas na Europa e na Espanha, nessa de ver se o país vai pedir um resgate ou não, mas não temos a mesma variação e volatilidade que no exterior", disse o economista-chefe da BGC Liquidez, Alfred Barbutti.

O motivo das variações modestas são as recentes intervenções do BC no mercado e declarações de autoridades brasileiras, que mostraram disposição para manter o dólar acima de R$ 2, considerado um piso informal para a moeda desde o início de julho.

No exterior, a expectativa de que a Espanha peça um resgate internacional --o que permitiria ao país ter acesso ao novo programa de compra de títulos do Banco Central Europeu-- animou investidores e ajudou o dólar a se desvalorizar ante outras moedas.

Fontes da União Europeia afirmaram à Reuters que Madri poderia requerer auxílio no próximo fim de semana. No entanto, o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, afirmou nesta terça-feira que um possível pedido de ajuda não é iminente, mantendo as incertezas.

Às 17h13, a moeda norte-americana tinha queda de 0,12% ante uma cesta de divisas, enquanto o euro subia 0,26% ante a divisa dos Estados Unidos.

(Reportagem de Danielle Fonseca)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.