Tamanho do texto

Durante nove anos a operadora e suas filiais impuseram comissões ilegais por atrasos nos pagamentos a seus clientes, aos quais enganou com a cobrança de dívidas inexistentes

EFE

A entidade financeira American Express pagará US$ 85 milhões para pôr fim a uma investigação dos reguladores americanos por cobranças indevidas a seus clientes e violar leis de proteção dos consumidores.

A American Express anunciou nesta segunda-feira em comunicado de imprensa que fechou o acordo com a Corporação Federal de Seguro de Depósitos (FDIC), o Escritório de Proteção Financeira do Consumidor (CFPB) e o Conselho de Governadores do sistema do Federal Reserve (FRB).

Entre 2003 e início de 2012, a entidade e suas filiais impuseram comissões ilegais por atrasos nos pagamentos a seus clientes, aos quais enganou com a cobrança de dívidas inexistentes e com ofertas de cartões de crédito, segundo os reguladores.

A entidade financeira se comprometeu a estabelecer um fundo de US$ 85 milhões para devolver o dinheiro a cerca de 250 mil clientes afetados, incluído o pagamento de uma multa de US$ 27,5 milhões.

"Violaram as leis de defesa do consumidor em todas as fases do negócio, desde clientes que solicitaram cartões até os que receberam ligações para exigir comissões por atrasos nos pagamentos", disse o diretor do CFPB, Richard Cordray. 


    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.