Tamanho do texto

Ganho trimestral avança para 8,5%, o mais alto desde o quatro trimestre de 2011

Agência Estado

Os preços dos contratos futuros de petróleo registraram leve alta nesta sexta-feira, após uma sessão agitada, na qual os contratos futuros de gasolina subiram 6,3%. Apesar disso, o avanço dos preços do petróleo elevou o ganho trimestral para 8,5%, o mais alto desde o quatro trimestre de 2011.

Temores sobre a situação no Oriente Médio, incluindo o embargo ao petróleo iraniano, e a série de estímulos econômicos nos Estados Unidos e em outros países fizeram os preços do petróleo subirem nos últimos meses, embora a realização de lucros e o ressurgimento de novos temores sobre a zona do euro tenham pesado em setembro.

No final da tarde de Nova York, os contratos de petróleo para entrega em novembro fecharam com alta de US$ 0,34 (0,37%), a US$ 92,19 o barril, acumulando queda de 0,8% na semana. Na plataforma ICE, o Brent para novembro avançou US$ 0,38 (0,34%), a US$ 112,39 por barril.

Os ganhos registrados pelo petróleo no terceiro trimestre ocorrem após perdas de 18% no segundo trimestre, o pior resultado desde o final de 2008. Os preços da commodity caíram 4,4% neste mês.

Nesta sexta-feira, as bolsas de Wall Street fecharam em baixa e os investidores não receberam bem a queda da atividade manufatureira em Chicago nem os números sobre a confiança do consumidor.

O índice de atividade dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial de Chicago, medido pelo Instituto para Gestão de Oferta (ISM), caiu para 49,7 em setembro, de 53,0 em agosto, e ficou abaixo da estimativa média dos analistas ouvidos pela Dow Jones, de 52,5.

Já o índice de preços dos gastos com consumo pessoal (PCE, na sigla em inglês) - a medida preferida do Federal Reserve para inflação - subiu 0,4% em agosto ante julho, de acordo com dados divulgados mais cedo pelo Departamento de Comércio norte-americano. Em relação ao mesmo mês do ano passado, o PCE avançou 1,5% em agosto.

Já o dólar operou em alta, o que também representa uma certa pressão sobre as commodities. A apreciação da moeda norte-americana desencoraja o investimento em petróleo e outras commodities, pois as torna mais caras para detentores de outras moedas.

Os contratos futuros de gasolina subiram 6,3% nesta sexta-feira, aumento que traders e analistas atribuíram ao fato de investidores terem apostado que os preços estariam mais baixos e por isso estavam vendidos nesses contratos, razão que os levou a correr para adquirir contratos futuros para cobrir essas posições. As informações são da Dow Jones.