Tamanho do texto

Papéis recuam com piora do clima de negócios da Alemanha e novas preocupações sobre a crise da dívida da Espanha e da Grécia

Reuters

As ações europeias caíram nesta segunda-feira, com recuo no clima de negócios da Alemanha e novas preocupações sobre Espanha e Grécia empurrando investidores intranquilos para setores acionários mais defensivos, como os de saúde.

- Acompanhe Bovespa, Dow Jones, Nasdaq e o dólar

Segundo números preliminares, o índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações europeias, fechou em queda de 0,32%, aos 1.115 pontos. O indicador Euro STOXX 50, que abrange as blue chips da zona do euro, caiu, por sua vez, 0,7%, para 2.557 pontos, freando um rali de dois meses.

O sentimento de negócios da Alemanha caiu em setembro pelo quinto mês seguido, para o menor nível desde o início de 2010, mostrando que mesmo as economias mais fortes da Europa estão sucumbindo a uma piora, apesar das promessas de novas medidas de estímulo do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi.

Já a Espanha está enfrentando uma pressão crescente para pedir formalmente um resgate, enquanto uma reportagem alemã, que mostrou que a Grécia pode ter um rombo de 20 bilhões de euros no seu orçamento, também deixou investidores nervosos.

"Nós fomos surpreendidos pela recuperação (nas ações) e pela extensão da recuperação. Agora estamos de volta à realidade. Nenhum dos problemas realmente foi resolvido, apesar da intervenção do Draghi", disse o chefe de alocação de ativos do banco suíço Gonet, Cyrille Urfer.

Em LONDRES, o índice Financial Times caiu 0,24%, a 5.838 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX recuou 0,52%, para 7.413 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 teve perdas de 0,95%, a 3.497 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve baixa de 0,78%, para 15.867 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 caiu 1,12%, a 8.138 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 teve queda de 1,34%, para 5.355 pontos.

(Reportagem de Sudip Kar-Gupta)