Tamanho do texto

Hipótese de o país se mover em direção a uma solicitação de resgate animou os mercados nesta sexta

Reuters

As ações europeias subiram nesta sexta-feira, testando as máximas de 14 meses registradas na semana passada, enquanto papéis do setor bancário foram impulsionados pela hipótese de a Espanha se mover em direção a uma solicitação de resgate.

Segundo números preliminares, o índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações europeias, fechou em alta de 0,42%, aos 1.119 pontos. O indicador ficou praticamente estável na semana.

Veja mais:  Chefe do FMI pede que Europa tome ações para superar crise

Enquanto isso, o termômetro de volatilidade Euro STOXX 50, que avalia preços de opções sobre blue chips da zona do euro e é entendido como uma medida dos temores de investidores sobre oscilações futuras nos preços, caiu 4,4 por cento, atingindo a mínima em 6 meses.

Ações do setor bancário da zona do euro subiram 1,7%, e o principal índice espanhol, o Ibex 35, ganhou 2,9%.

Há expectativas de que Madri avance para satisfazer as condições para um resgate internacional, o que poderia abrir caminho para apoio monetário do Banco Central Europeu.

"Os espanhóis têm feito todas as coisas certas quanto à preocupação de alemães e do BCE (Banco Central Europeu). (O resgate) é uma formalidade", avaliou o chefe de ações europeias na Manulife Asset Management.

"A consolidação é inevitável, mas há esses fortes estímulos globais. Dinheiro vai perseguir ativos reais... e acho (que o rali) vai continuar", acrescentou.

Em LONDRES, o índice Financial Times teve variação negativa de 0,03%, a 5.852 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX avançou 0,84%, para 7.451 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 teve alta de 0,59%, a 3.530 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib ganhou 1,02%, para 15.991 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 subiu 2,60%, a 8.230 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 avançou 1,69%, para 5.428 pontos.

(Reportagem de Francesco Canepa)

Leia tudo sobre a Crise Econômica