Tamanho do texto

Na última sessão, as ações europeias responderam com euforia à decisão do Fed de, em uma tentativa de auxiliar a recuperação da economia norte-americana

Agência Estado

As bolsas europeias fecharam em baixa nesta segunda-feira, com os investidores embolsando lucros após o rali alimentado pelas novas medidas de estímulo anunciadas na semana passada pelo Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos. O índice Stoxx Europe 600, que no pregão anterior bateu seu maior nível em 15 meses, encerrou o dia com queda de 0,3%, aos 275,01 pontos.

"É difícil manter os grandes ralis e era inevitável que, em algum momento, as pessoas quisessem tirar um pouco de dinheiro da mesa depois de um movimento de alta tão forte", comentou a Capital Spreads, referindo-se à realização de lucros verificada nesta segunda-feira.

Na última sessão, as ações europeias responderam com euforia à decisão do Fed de, em uma tentativa de auxiliar a recuperação da economia norte-americana, comprar US$ 40 bilhões por mês em títulos lastreados em hipotecas emitidos por agências do governo, em um programa sem previsão de término.

A segunda-feira também foi um dia fraco de indicadores. O mais relevante deles, o índice Empire State de atividade industrial, medido pelo Federal Reserve de Nova York, frustrou as previsões ao tombar para -10,41 em setembro, de -5,85 em agosto. Os economistas esperavam uma melhora do indicador, que está em queda desde maio, para uma leitura de 0,0.

Em Londres, o índice FTSE-100 caiu 0,37%, fechando a 5.893,52 pontos. Ao contrário da sessão anterior, as mineradoras tiveram perdas, com Evraz e Anglo American recuando 3,3% e 2,3%, respectivamente. Já o BT Group, cujas ações foram rebaixadas, teve declínio de 2,1%.

O índice CAC 40, de Paris, registrou queda de 0,78%, para 3.553,69 pontos. A EADS, que vinha sob pressão desde que anunciou planos de fusão com a BAE Systems, avançou 1,6% após ter suas ações elevadas para "compra". Por outro lado, France Telecom e Vivendi, que foram rebaixadas, tiveram respectivas perdas de 2,4% e 1,9%.

Em Frankfurt, o índice Dax mostrou um ligeiro declínio de 0,11%, para 7.403,69 pontos, com baixas da ThyssenKrupp (-4,5%), MAN (-2,7%) e Metro (1,6%).

A queda do índice Ibex 35, de Madri, foi ainda menor, de 0,08%, para 8.148,00 pontos. A pressão veio dos bancos, com perdas do Caixabank (1,5%), Santander (0,8%) e BBVA (0,1%).

A Bolsa de Milão teve o pior desempenho do dia, com o índice FTSE MIB caindo 0,93%, para 16.470,09 pontos. Em Lisboa, o índice PSI20 recuou 0,66%, para 5.399,50 pontos. As informações são da Dow Jones.