Tamanho do texto

Ex-operador do banco, Kweku Adoboli, está sendo julgado sob acusações de fraudes, mas alega inocência

Reuters

Um procurador britânico acusou nesta sexta-feira o ex-operador do UBS Kweku Adoboli de ter feito o banco perder US$2,3 bilhões em operações fraudulentas, causando "caos e desastre para ele e todos em sua volta."

Adoboli, de 32 anos, está sendo julgado sob acusações de fraudes, mas alega inocência.

"Adoboli parou de agir como um profissional de investimento e começou a transformar seu trabalho em uma aposta disfarçada. Ele se tornou o que costumamos chamar de corretor desonesto", declarou o procurador Sasha Wass, que abriu o processo um dia após Adoboli ter sido preso.

"A motivação de Adoboli para tais atitudes era aumentar suas comissões, status no banco, expectativas de trabalho e seu próprio ego", acrescentou. "Ele fez isso ao passar dos limites de um operador, inventar operações e mentir para os chefes".