Tamanho do texto

Emissão de 750 milhões de euros recebeu cerca de 7,5 bilhões de euros em pedidos de 475 investidores, disseram banqueiros envolvidos na oferta

Agência Estado

A companhia Energias de Portugal (EDP) recebeu uma forte demanda para seu leilão de bônus, que será realizado nesta sexta-feira, na primeira incursão no mercado de títulos por empresas deste país em 18 meses. Às 10h40 (de Brasília), as ações da EDP recuavam 0,09% na Bolsa de Lisboa.

A emissão de 750 milhões de euros (US$ 970 milhões) recebeu cerca de 7,5 bilhões de euros em pedidos de 475 investidores, disseram banqueiros envolvidos na oferta. Embora o yield (retorno ao investidor) tenha sido previsto inicialmente em cerca de 6,25%, a demanda elevada levou o juro a recuar para 5,875%.

O acordo será precificado e vendido mais tarde. A força da demanda na oferta é mais uma prova de que o plano do Banco Central Europeu (BCE) para ajudar a reduzir os custos de empréstimos dos países em dificuldades da zona do euro acalmou o nervosismo dos investidores e ajudou empresas de nações que receberam pacotes de socorro a financiarem-se em patamares acessíveis.

As companhias portuguesas estavam fora do mercado de bônus desde fevereiro de 2011, quando os problemas da dívida pública afetaram duramente os bônus soberanos. O país recebeu socorro em maio de 2011.

Os bônus da EDP têm classificação Ba1 da Moody's, BB+ da Standard & Poor's e BBB- da Fitch Ratings. Os coordenadores da emissão são Barclays, BNP Paribas, Credit Suisse, ING, Mizuho Financial Group, Société Générale, Banco Espírito Santo e Millennium BCP. As informações são da Dow Jones.