Tamanho do texto

Contrato de petróleo para outubro caiu US$ 0,16 (0,16%), fechando a US$ 97,017 por barril

Agência Estado

Os contratos futuros do petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam em baixa nesta quarta-feira em razão do inesperado aumento nos estoques semanais da commodity, mas os acontecimentos no Oriente Médio impediram quedas maiores.

O contrato de petróleo para outubro caiu US$ 0,16 (0,16%), fechando a US$ 97,017 por barril. Já na plataforma eletrônica ICE, o barril do Brent para outubro avançou US$ 0,56 (0,59%) encerrando aos US$ 115,96 o barril.

Muitos investidores também se mantiveram cautelosos, na expectativa da decisão do Comitê de Política Monetária (Fomc) do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), que será divulgada na quinta-feira.

Os estoques de petróleo dos EUA subiram 1,994 milhão de barris na semana encerrada em 7 de setembro, para 359,092 milhões de barris, segundo informou nesta quarta-feira o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês). A estimativa dos analistas era de queda de 2,2 milhões de barris.

Mas os eventos no Oriente Médio e movimentos cautelosos adotados por vários investidores, antes a decisão do Fomc, seguraram a queda do petróleo. O embaixador dos EUA na Líbia foi morto na terça-feira durante a invasão da embaixada em Benghazi, em protesto contra por um filme, produzido em território norte-americano, que ridiculariza os muçulmanos.

Além disso, as divergências entre EUA e Israel parecem ter aumentado depois de o primeiro-ministro israelense ter declarado, na noite de terça-feira, que o governo norte-americano não tem o direito de impedir que Israel ataque o Irã.

Analistas dizem que a reação moderada dos preços do petróleo a esse cenário indicam que o mercado já precificou a situação. "Isso não vai resultar em nada, a não ser em algumas palavras", disse Dominick Chirichella, analista do Energy Management Institute. "Não há impacto sobre o petróleo." As informações são da Dow Jones.