Tamanho do texto

Resseguradoras, companhias de capitalização e de previdência aberta também poderão receber aportes dos fundos que investem em participações de empresas

Agência Estado

A Superintendência de Seguros Privados (Susep) autorizou os fundos de private equity (que compram participações em empresas) a investir em seguradoras, resseguradoras, companhias de capitalização e de previdência aberta. O objetivo da autarquia com a medida é canalizar para o setor os recursos dos fundos de pensão que, conforme o órgão regulador, administram cerca de R$ 600 bilhões.

Leia mais:  Seguradora BB&Mapfre cresce 15,6% no semestre

Em fevereiro deste ano, a Agência Estado antecipou a intenção da Susep de permitir que o setor de private equity investisse em seguradoras. Na época, o superintendente da autarquia, Luciano Portal Santanna, disse, em entrevista exclusiva, que vários fundos procuraram a Susep, interessados em comprar participação em seguradoras brasileiras.

Veja também:  Saiba o que são private equity, venture capital e capital semente

A Susep afirma que o aval permitirá um aumento do investimento no setor de seguros, além de propiciar maior concorrência e, consequentemente, a queda nos custos das empresas de seguro, resseguro, capitalização e previdência complementar aberta, beneficiando o consumidor.

"Outro foco da Susep é alavancar a capacidade do mercado, fornecendo maior cobertura inclusive para projetos de infraestrutura e aqueles vinculados ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)", ressalta o órgão, em nota.

Para permitir que fundos de private equity investissem em seguradoras foi alterado o regulamento anexo à Resolução do Conselho Nacional de Seguros Privados nº 166, de 17 de julho de 2007. No capítulo três do documento, que trata da estrutura de controle societário, foi acrescentado o inciso IV, possibilitando que os fundos de private equity investissem nas empresas supervisionadas pela Susep.

Mais:  Carlyle Group compra Getty Images por US$ 3,3 bilhões