Tamanho do texto

Kweku Adoboli foi preso no ano passado quando os altos prejuízos começaram a surgir

Reuters

O ex-operador do UBS Kweku Adoboli
Getty Images/Dan Kitwood
O ex-operador do UBS Kweku Adoboli

O ex-operador de mercado do UBS Kweku Adoboli compareceu, nesta segunda-feira, no tribunal no início de seu julgamento sobre fraude, em um caso que envolve prejuízos de 2,3 bilhões de dólares (R$ 4,6 bilhões) ao banco suíço.

Adoboli, que foi preso no ano passado quando os altos prejuízos começaram a surgir, negou duas acusações de fraudes que somam mais de US$ 1,5 bilhão (R$ 3 bilhões) e duas outras de falsas informações contábeis relacionadas a operações desastrosas que o UBS afirma não terem sido autorizadas.

O episódio marcou um sério revés para a UBS, enquanto estava tentando recuperar-se de um quase colapso durante a crise financeira em 2008. Como consequência, o banco promoveu amplas mudanças em seu quadro de funcionários e na sua estratégia, que ainda estão em andamento.

Adoboli sentou-se atrás de painéis de vidro enquanto juízes e advogados discutiam os planos para seu julgamento. O júri seria selecionado nesta segunda-feira e os procuradores iriam apresentar um resumo do caso na sexta-feira.

Se condenado, Adoboli, nascido em Gana e filho de um diplomata aposentado das Nações Unidas, deve enfrentar uma sentença de dez anos de prisão. O julgamento deve durar pelo menos oito semanas.

(Por Estelle Shirbon)