Tamanho do texto

Indicadores reagem à criação menor que a esperada de vagas de emprego nos Estados Unidos em agosto

Agência Estado

Os índices futuros das Bolsas de Nova York reduziram os ganhos, chegando a tocar momentaneamente o terreno negativo, em reação à criação menor que a esperada de vagas de emprego nos Estados Unidos em agosto. As principais bolsas europeias também desaceleram a alta, ao passo que o euro atingiu as máximas da sessão. Por volta das 10h15 (horário de Brasília), os futuros dos índices Dow Jones e S&P 500 subiam 0,18% e 0,11%, de altas ao redor de 0,30% para cada índice acionário mais cedo.

LeiaEmprego cresce menos que o esperado nos EUA, mas desemprego cai

A piora aconteceu após o anúncio de abertura de 96 mil postos de trabalho no mercado de trabalho norte-americano no mês passado, abaixo da previsão de mais 125 mil. O dado de julho foi revisado para mostrar abertura de 141 mil empregos, de mais 163 mil originalmente. A taxa de desemprego no país, por sua vez, caiu a 8,1% em agosto, contrariando a previsão de estabilidade em 8,3%.

TambémPlano do BCE pode salvar o euro, mas não elimina crise

Na Europa, as bolsas de Londres, Paris e Frankfurt também encurtaram o avanço e exibiam altas de 0,31%, 1,05% e 0,89%, nesta ordem. O euro, por sua vez, renovou sucessivas máximas ante o dólar e era negociado nos maiores níveis desde maio deste ano. Ainda no mesmo horário, a moeda única europeia subia a US$ 1,2748, de US$ 1,2757 na máxima e de US$ 1,2632 no fim da tarde de quinta-feira (6) em Nova York.