Tamanho do texto

Banco com o maior crescimento nominal é o Bradesco, que no final de 2011 possuía valor de mercado de R$ 106,9 bilhões e passou para R$ 119 bilhões na última terça-feira

Agência Estado

O valor de mercado de 23 bancos brasileiros subiu para R$ 417,7 bilhões no dia 21 de agosto de 2012, crescimento de R$ 17,9 bilhões, ou 4,49%, ante o verificado no dia 31 de dezembro de 2011 (R$ 399,8 bilhões), de acordo com a consultoria Economatica. Segundo o levantamento, o banco com o maior crescimento nominal é o Bradesco, que em 31 de dezembro de 2011 possuía valor de mercado de R$ 106,9 bilhões e passou para R$ 119 bilhões no dia de ontem, o que representa um crescimento de R$ 12 bilhões ou 11,28%.

VejaBancos privados precisam 'ousar' mais e ampliar crédito, diz Mantega

O Itaú Unibanco teve o segundo crescimento nominal entre os 23 analisados, com crescimento de R$ 5,4 bilhões, ou 3,98%, para R$ 142,8 bilhões. Ainda conforme a Economatica, o pior desempenho nominal ficou com o banco Cruzeiro do Sul, que no final de 2011 tinha R$ 1,8 bilhão de valor de mercado e na terça-feira fechou com R$ 234 milhões. Isso representa uma perda de R$ 1,6 bilhão, ou -87,43%.

TambémBC diz que crédito no País evolui de forma sustentável

O segundo banco com maior queda nominal no valor de mercado no período analisado é o Banco do Brasil. O recuo foi de R$ 1,14 bilhão, ou -1,69%, para R$ 66,7 bilhões. Porcentualmente, o banco com a maior alta de valor de mercado é o Panamericano, que no período teve alta de 68,67%, seguido pelo Banco Pine, com crescimento de 48,18%. A maior queda porcentual do setor é do Cruzeiro do Sul (-87,43%), seguido pelo BicBanco (-38,22%).