Tamanho do texto

Maior alta ficou com Bolsa de Milão, de 6,59%; Bolsa de Valores de Paris fechou a sexta-feira com ganhos de 4,75% e a de Madri, de 5,66%

As ações europeias fecharam preliminarmente nesta sexta-feira em seus maiores níveis em sete semanas, após novas medidas adotadas por líderes europeus no combate à crise da dívida na região impulsionarem os índices acionários de referência e de bancos.

Tempo real: Bovespa também sobe forte e dólar cai

Segundo números preliminares, o índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações europeias, fechou em alta de 2,56%, aos 1.020 pontos, nível mais alto desde o encerramento de 11 de maio deste ano, quando foram registrados 1.022 pontos.

O indicador Euro STOXX 50, por sua vez, avançou 4,7%, para 2.259 pontos.

No entanto, muitos seguiram céticos sobre se o rali desta sexta-feira vai durar, devido às incertezas sobre como as propostas acordadas na cúpula da União Europeia (UE) -como ajuda a bancos em dificuldades e atuações nos mercados de bônus- seriam aplicadas na prática.

"Estou em posição vendedora nisso. Ainda há muitos obstáculos. Prefiro ficar do lado seguro", avaliou o administrador de fundos da ClairInvest, Ion-Marc Valahu.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou com alta de 1,42%, a 5.571 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX ganhou 4,33%, para 6.416 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 avançou 4,75%, a 3.196 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve alta de 6,59%, para 14.274 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 ganhou 5,66%, a 7.102 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 avançou 2,51%, para 4.697 pontos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.