Tamanho do texto

Operação foi cancelada porque, após o período preferencial de subscrição das ações, ainda sobraram 17,7% dos papéis

A Itaúsa, holding controladora do Itaú Unibanco, divulgou hoje que vai desistir de seu aumento de capital, aprovado pelos acionistas em 26 de abril. A operação iria elevar o capital social do grupo em R$ 500 milhões, para R$ 17 bilhões, por meio de uma colocação privada de ações.

Segundo a companhia, a expansão foi cancelada porque, após o período preferencial de subscrição das ações emitidas, ainda sobraram 17,7% dos papéis que seriam objeto da transação, ou 10,4 milhões. A desistência ainda precisa ser aprovada pelos acionistas.

Os sócios da empresa manifestaram a intenção de comprar 22,1 milhões de ações ordinárias e 17,4 milhões de papéis preferenciais, durante o mês de maio. Na segunda oferta, mais 508,2 mil ativos ON e outros 8,3 milhões de PN foram subscritos na emissão privada.

Como o restante deveria ser oferecido em leilão registrado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), e dada a volatilidade atual do mercado de capitais, a Itaúsa acabou desistindo da operação.

Os recursos seriam destinados a um aumento de participação no capital de outras empresas controladas e à busca de novos investimentos que a holding considerasse importantes. O grupo também buscava a redução de seu endividamento.

A Itaúsa finaliza informando que aqueles que decidiram por subscrever as ações serão restituídos em 16 de julho, mediante atualização monetária pela taxa básica de juro, a Selic. Os papéis foram vendidos pelo preço de R$ 8,50 cada um.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.